Kahlo
Foto: divulgação

‘Não Kahlo’: um encontro performativo de mundos surrealistas que regressa agora a Lisboa

Não Kahlo é a primeira criação de D. Mona. Encenado por Mónica Kahlo e Sílvia Raposo, já pisou os palcos madrilenos aquando do III Ciclo de Teatro Argentino e do Festival Clown e Cabaret do Teatro El Umbral de Primavera, bem como o Teatro El Montacargas. Regressa a Lisboa em setembro e permanece em cena em Portugal até 2019.

Frida Kahlo, pintora mexicana, espelhou na sua obra surrealista uma série de eventos trágicos que percorreram toda a sua vida, criando um universo artístico em aberto ás suas feridas físicas e psicológicas. Em Não Kahlo, esse realismo mágico latino-americano funde-se com o mundo surrealista e onírico de Lewis Carrol.

Alice vai reviver na pele de Frida uma história do absurdo, que revisita Diego, as rosas, os coelhos motorizados, a sexualidade, o aprisionamento, as limitações físicas. Cruzam-se, assim, dois universos surrealistas que trazem aos palcos a multidisciplinariedade e o multilingualismo de um espetáculo que atravessa a performance, a dança, as artes plásticas, o português, o inglês, o francês e o espanhol.

Para ver

Não Kahlo, apelidada pela crítica Estrella Savirón de uma “valiente y arriesgada, apuesta por la diversidade en la forma y el contenido” (em português, “valente e arriscada aposta pela diversidade na forma e no conteúdo”), vai estar em cena a 29 de setembro de 2018 no Auditório Municipal Beatriz Costa, em Mafra, pelas 21h30. Segue para a Casa das Artes do Porto a 12 de outubro, pelas 21h30, e, no dia seguinte, para a Casa do Capitão (Barroso, Porto) às 21h.

O primeiro espetáculo da cooperativa (cujo elenco integra, além das encenadoras, Margarida Camacho e Anabela Pires), regressa à capital de 18 a 21 de outubro na Casa do Coreto (quinta a sábado, pelas 21h30, domingo pelas 17h).

Kahlo
Foto: divulgação

D. Mona: um novo espaço de experimentação artística

D. Mona é uma cooperativa teatral e pluriartistica erguida exclusivamente por mulheres a 20 de agosto de 2017, em Lisboa. A encenadora e atriz Mónica Kahlo e a antropóloga e investigadora Sílvia Raposo (ambas doutorandas em artes performativas) criaram, assim, um novo espaço para a reflexão e a experimentação artísticas.

D.Mona é uma cooperativa que, apesar de recente no panorama cultural português, se afirma já como um laboratório de fusão de experiências culturais, de cruzamento de épocas e artistas e, em suma, de um hibridismo artístico inovador em Portugal.

LÊ TAMBÉM: VAUDEVILLE RENDEZ-VOUS: FESTIVAL DE CIRCO CONTEMPORÂNEO INVADE O NORTE DO PAÍS

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Discurso de ódio
Podcast. Monitorizar discurso de ódio ou censurar liberdade de expressão?