Há muitas formas de celebrar o Dia Mundial dos Avós (26). Ver filmes em família, passear, ver álbuns de fotos, ir almoçar fora, ouvir histórias do antigamente! No Espalha-Factos, decidimos assinalar a data com a lista dos melhores avós das séries da televisão.

Frank Dunphy (Uma Família Muito Moderna)

Tal como o filho Phil Dunphy (Ty Burrell) Frank (Fred Willard) é descontraído, divertido e um bocadinho desastrado. Apesar de não estar presente em todos os episódios, o avô Dunphy tem um grande coração que nos conquista desde o primeiro momento. Nas várias cenas em que interage com Phil, mostra sempre o quanto gosta do filho e que está disposto a tudo por ele, até a abdicar da própria felicidade e desistir de casar pela segunda vez porque Phil não está confortável com a ideia de ter a sua antiga babysitter como madrasta.

Jay Pritchett (Uma Família Muito Moderna)

Jay Pritchett (Ed O’Neill) é um orgulhoso que não demonstra os sentimentos e muito menos fala sobre esse tipo de coisas. Foi assim que foi educado e foi assim que educou os filhos, Mitchell (Jesse Tyler Ferguson) e Claire (Julie Bowen). Mas quando se torna o patriarca de uma família muito moderna, Jay revela-se um coração mole capaz de aceitar todas as peculiaridades da sua família e fazer tudo por eles, mesmo que por vezes o orgulho se ponha no caminho.

Ruby Johnson (Black-ish)

A avó Ruby (Jenifer Lewis) tem muitas opiniões e não tem medo das expressar. Isto dificulta, em muito, a relação com a nora, Rainbow (Tracee Ellis Ross). As duas têm uma relação cliché que conduz Rainbow à loucura, quando Ruby tenta educar os seus netos à sua maneira. Mas não é por isso que gostamos menos da mãe de Dre (Anthony Anderson), que está sempre disponível para a sua família. Nas palavras da própria atriz: “A Ruby ama os seus netinhos, essas são as verdadeiras bases da Ruby Johnson, em ‘Black-ish'”.

Earl Johnson (Black-ish)

Earl (Laurence Fishburne) é muito mais discreto que a ex-mulher Ruby, mas não deixa de estar sempre pronto para oferecer a sua opinião sobre os assuntos da família. O pai de Dre é irónico, assertivo e aquela pessoa com quem se pode sempre contar para constatar o óbvio. É idolatrado pelos netos, pela sua sabedoria, e o membro da família a quem todos recorrem quando precisam de conselhos.

Barbara ‘Maw Maw’ Thompson (Raising Hope)

Barbara ‘Maw Maw’ Thompson (Cloris Leachman) é a avó de toda a gente nesta séria! É a avó de Virginia (Martha Plimpton), a bisavó de Jimmy (Lucas Neff) e a tetravó de Hope (Baylie e Rylie Cregut). A matriarca é excêntrica, imprevisível e raramente está lúcida, protagonizando assim alguns dos momentos mais hilariantes da série. Mas também tem um grande coração, afinal foi Maw Maw quem criou Virginia, quando a sua mãe adolescente a abandonou, e quem ajudou a criar Jimmy quando Virginia engravidou também na adolescência.

William Hill (This is us)

William Hill (Ron Cephas Jones) é o pai biológico de Randall e foi o protagonista em algumas das cenas mais emocionais da série. Se no início questionámos os motivos que teve para dar o bebé Randall para adoção, quanto mais o conhecemos, mais compreendemos que foi o maior gesto de amor que podia ter feito pelo filho. A roadtrip em que se despede de Randall é um dos momentos mais bonitos e tristes que assistimos na primeira temporada.

Violet Crawley, the Dowager Countess of Grantham (Downton Abbey)

downton-abbey-episode-5-550x3842

Não é só o facto de ser interpretada na perfeição pela Dame Maggie Smith que nos cativa nesta personagem, ainda que só isso seja um fator de peso. Caracterizada pela sua sagacidade e língua afiada, características herdadas pela neta Lady Mary, a condessa oferece algumas das frases mais impressionantes de toda a série.

Hank Booth (Bones)

Hank Booth (Ralph Waite) foi mais um pai do que um avô para Seeley Booth (David Boreanaz). O ‘Pops’, como o agente do FBI lhe chama carinhosamente, criou os irmãos Booth quando se apercebeu que estes eram mal tratados pelo pai (o seu filho). Hank é um veterano de guerra e católico, dois fatores que marcaram muito a personalidade de Booth. Um dos momentos mais marcantes desta personagem foi quando teve de aceitar voltar para o lar depois de quase ter incendiado a casa do neto enquanto fazia uma sandes de queijo derretido. A presença de Hank é ainda inesquecível no dia do casamento dos protagonistas, quando o avô de Booth se mostra radiante por ver o neto casar com o amor da sua vida.

Martha Rodgers (Castle)

Martha Rodgers (Susan Sullivan) é uma mulher moderna, decidida e pragmática, que está sempre presente para ajudar e apoiar tanto a neta, Alexis (Molly Quinn), como o filho, Richard Castle (Nathan Fillion). Martha foi mãe solteira e criou Richard enquanto trabalhava como atriz na Broadway. Por este motivo, é muitas vezes Richard quem se torna protetor e paternal para com Martha, tal como Alexis faz consigo. Martha e Alexis são muito próximas e passam muito tempo juntas, sendo que a neta recorre muito à avó para pedir conselhos.

Abe Simpson (The Simpsons)

O avô de The Simpsons é provavelmente um dos avós que surge na nossa televisão há mais anos. Abe (voz de Dan Castellaneta) é uma personagem recorrente que gosta de contar grandes histórias que, por vezes, não são muito coerentes. Por este motivo, é visto como senil e muitas vezes negligenciado pela família algo que nos faz refletir sobre como os mais velhos são tratados na sociedade. Ainda assim, e apesar de ressentir um pouco a família, é bondoso e carinhoso com os netos, Bart, Lisa e Maggie.

Rick Sanchez (Rick and Morty)

A série segue as histórias da família Smith, centrando-se na relação de Rick (voz de Justin Roiland) e do neto Morty (voz também de Justin Roiland) . Juntos viajam pelo universo e por diferentes dimensões com as máquinas desenvolvidas pelo avô. Rick Sanchez é um cientista brilhante, mas excêntrico, pouco convencional e alcoólico. O neto Morty é a pessoa por quem demonstra mais afeto dentro da família, fazendo com que este o acompanhe nas suas aventuras. Em contrapartida, Morty é bondoso, ingénuo, facilmente influenciável e tem dificuldades na escola.

Lê também: E que tal despedirmo-nos de ‘The Originals’ com os seus melhores momentos?