Com três livros autobiográficos, Vozes Dentro de Mim foi o último livro que Carmen Dolores publicou em 2017. A partir desta obra, Diogo Infante encenou a peça Carmen, que está em palco no Teatro da Trindade, em Lisboa, até ao próximo dia 29 de julho. O Espalha-Factos esteve na fila da frente a assistir.

Com a interpretação de Natália Luiza, a atriz em palco leva-nos a visitar a vida de Carmen Dolores, sem ordem cronológica, sem hierarquia. Somente as vozes das personagens por ela interpretadas ao longo da sua carreira de quase 60 anos.

Carmen, a peça de teatro

Um cenário idílico, emotivo, cativante e emblemático criado por Marta Carreiras, transporta-nos a cada pormenor da vida artística e pessoal de Carmen. A voz suave e melodiosa da atriz Natália Luiza conta-nos pormenores como a estreia de Carmen Dolores naquela mesma sala do Teatro da Trindade.

Recuamos ainda mais no tempo e ficamos a conhecer quando a jovem atriz assistia à peça Frei Luís de Sousa a partir do “galinheiro” (camarote de 1.ª ordem). Tudo isto, com um subtil toque de humor: “não vás para o conservatório, perdes o jeito”, dizia-lhe Lopes Ribeiro pouco depois desta começar a representar.

A atriz em cena incorpora de forma excelente o seu papel. A determinada altura pensamos ser a própria Carmen que está em sua casa, a conversar com o público e a contar as aventuras da sua vida. Esta peça transporta o espetador ao passado, a cada momento da existência de Carmen, à modéstia das suas relações com os outros artistas, à delicadeza com que foi construindo a sua carreira.

Carmen

Foto: Ana Correia Soares / EF

Carmen, a atriz e escritora

Nasceu em Lisboa, a 22 de abril de 1924. Foi na rádio que se iniciou aos 12 anos, mas foi a representação que a tornou famosa. Carmen Dolores estreou-se aos 19 anos no cinema, como protagonista de Amor de Perdição (1943), de Leitão de Barros, adaptação do romance de Camilo Castelo Branco.

A sua estreia no teatro aconteceu apenas em 1945, integrada na companhia Os Comediantes de Lisboa, sediada no Teatro da Trindade. Seguiu-se uma carreira cheia de inúmeros sucessos até 2005, ano em que pisou os palcos pela última vez, representando a peça Copenhaga, no Teatro Aberto, com encenação de João Lourenço.

Aos 94 anos, Carmen Dolores foi condecorada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com as insígnias de Grande-Oficial da Ordem do Mérito. A homenagem decorreu na passada quinta-feira (12), no Teatro da Trindade, em Lisboa, no final da estreia desta peça. Para completar esta homenagem, a sala principal do Teatro da Trindade passou a ser chamada Sala Carmen Dolores, já que foi nela que a atriz iniciou a sua carreira no teatro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para assistires

Carmen está em cena no Teatro da Trindade, em Lisboa, até 29 de julho. Pode ser vista de quarta a sábado, às 21h30, e domingo às 16h.

Os bilhetes podem ser comprados aqui ou nos locais habituais.

LÊ TAMBÉM: CULTURA AO CENTRO: LAPA DO LOBO TRANSFORMA-SE EM ALDEIA CULTURAL