A presença de Beyoncé na edição de este ano do Coachella não passou despercebida e a prova disso é mesmo a criação do termo Beychella (que junta o nome da cantora ao do festival de música). Fazendo história ao tornar-se na primeira mulher negra a ser cabeça de cartaz deste evento, Queen B usou diferentes coordenados criados em exclusivo para a ocasião, com assinatura de Olivier Rousteing – diretor criativo da Balmain. As peças viajam, agora, do palco para as lojas.

Ainda que o vestido assimétrico camuflado ou o body em vinil preto fiquem apenas reservados ao Coachella, os dois hoodies que Beyoncé usou no festival fazem parte da coleção limitada Balmain x Beyoncé. Ao rosa e amarelo vestidos pela cantora durante a apresentação, juntam-se um hoodie preto e as versões em t-shirt dos mesmos.

Esta coleção de hoodies e t-shirts, baseada em designs chave resultantes dos nossos esforços para o Coachella, respondem à nossa necessidade de pagar uma óbvia dívida pela inspiração que recebemos pelo espírito e legado das faculdades e universidades historicamente negras (no original, HBCU’s, cuja sigla significa Historic Black Colleges and Universities) que envolveram a coleção”, explicou Oliver Rousteing em comunicado citado pela Harper’s Bazaar.

É esta a razão pela qual estamos tão satisfeitos por anunciar que os lucros desta coleção irão auxiliar o trabalho impressionante da United Negro College Fund (UNCF) – ajudando a garantir que os líderes de amanhã vão ter a possibilidade de entrar na faculdade, crescer e licenciar-se”, acrescentou o responsável pela direção criativa da Maison.

Esta doação vem no seguimento da que foi feita por Beyoncé no final da sua apresentação no Coachella. A cantora remeteu 100 mil dólares (cerca de 855 mil euros) para quatro faculdades historicamente negras.

A parceria estará disponível na loja física da Balmain em Paris a partir de 13 de julho e, no dia seguinte, chegará à plataforma online da marca, assim como a lojas selecionadas. Até lá, podes ver na galeria, em baixo, as peças inspiradas no legado das 37 faculdades historicamente negras.