A Federação Portuguesa de Futebol (FPFvai lançar, em março de 2019, uma plataforma de conteúdos nomeada de projeto “11”. Nuno Santos, antigo jornalista e diretor de informação da RTP, irá dirigir a plataforma.

Ao que tudo indica, o antigo jornalista irá começar já este verão a trabalhar no projeto para garantir o lançamento na data prevista. Este canal terá como foco o trabalho de jogadores, treinadores e responsáveis pelas várias modalidades. Tem como um dos seus grandes objetivos, concorrer no mercado dos direitos televisivos do futebol para Portugal.

A federação pretende, também, que este se torne um meio relevante no panorama audiovisual português, contrabalançando a análise extensiva de “casos” feita por outros canais. Diretos e interação nas redes sociais serão das principais armas deste projeto.

Apesar disto, o canal apostará, igualmente, na transmissão de jogos das seleções mais jovens, femininas, de futsal e futebol de praia, além de competições organizadas pela Federação e cujos direitos não tenham sido vendidos.

Em declarações à agência Lusa, Nuno Santos afirmou tratar-se de uma “ideia fantástica, diferente de tudo o que existe e muito necessária para a divulgação e promoção do futebol português, em Portugal e no mundo”. Salientou o quão entusiasmante o projeto é, daí não precisar de “pensar duas vezes para dizer sim a Fernando Gomes” (presidente da federação).

Lê também: O Mundial dá em que canal? Sabe aqui onde podes ver os jogos

Desta feita, irá liderar uma equipa composta por figuras como Andreia Sofia Matos (que deixou a TVI em 2006), Jaime Cravo (jornalista que no início do ano trocou a Sport TV pela FPF), Jorge Leitão (ex-treinador que abandonou, esta temporada, a equipa técnica do Arouca) e Sara Freitas (ex-Porto Canal).

Nuno Santos conta já com uma vasta carreira. Começou aos 17 anos na rádio e foi repórter e pivot televisivo na década de 90. Desde aí, está, sobretudo, ligado à programação e gestão de conteúdos.

Está ligado à fundação da SIC e da SIC Notícias, tendo dirigido este último canal até 2001. Desde aí, alternou várias vezes entre o setor privado e a RTP.

Passou pela África do Sul, onde desempenhou um cargo de gestão de conteúdos no grupo sul-africano de comunicação Multichoice, e por Espanha. Volta agora ao seu país, para liderar o novo projeto da FPF.