O grupo Prisa, detentor da Media Capital, já não vai vender a empresa de comunicação social à Altice. De acordo com as informações divulgadas este sábado pelo jornal espanhol El Confidencial, o prazo para a venda expirou esta sexta-feira, dia 15, e não há intenção de o prolongar.

A holding espanhola vai agora repensar a estratégia do grupo que detém, além do canal de televisão TVI, outros ativos de media do mercado português.

Embora a Autoridade da Concorrência (AdC) só deva tornar a decisão pública na próxima semana, a 21 de junho, o grupo Altice já decidiu abortar a compra, avança o jornal ECO. A confirmação da decisão não é inesperada, depois de o regulador ter considerado insuficientes as propostas apresentadas pelo grupo liderado por Patrick Drahi para remediar a concentração de mercado que poderia ser provada pela aquisição. Em sequência disso, a Altice recusou apresentar novas soluções, o que tornou o negócio inviável.

O passo seguinte foi mesmo da Prisa. Depois de ter terminado, às 24h da passada sexta-feira (15) o prazo para a conclusão do negócio, os espanhóis decidiram romper o acordo. O negócio, avaliado em 321 milhões de euros, representaria um encaixe financeiro relevante para a reestruturação da empresa.

No entanto, o desfecho do negócio pode não ser tão nefasto para a Prisa. O grupo espanhol realizou um aumento de capital e tem reestruturado a sua dívida ao longo dos últimos meses e tem agora melhores expectativas do que há um ano atrás. Os resultados das várias empresas que detém em Portugal, que são lucrativas e libertam dividendos para o resto do grupo, podem contribuir para uma nova fase na holding.