Tully estreou nas salas portuguesas na última quinta-feira. O filme realizado por Jason Reitman e escrito por Diablo Cody assinala assim a terceira parceria da dupla depois de Juno (2007) e Jovem Adulta (2011).

Tully reune também uma outra equipa, a constituída por Reitman, Cody e a protagonista Charlize Theron. Enquanto Jovem Adulta, também com Theron no papel principal, se apresentava como uma narrativa bem explorada, mas em último caso, um lugar comum sobre a incapacidade de crescer, em Tully é dada a Theron a permissão para brilhar.

O filme conta a história de uma mãe de dois, prestes a dar à luz um terceiro filho. As luzes da ribalta e o glamour de Hollywood são colocados de parte, e assistimos a uma honesta representação daqueles que são os desafios da maternidade. A privação de sono, a preocupação, as depressões pós-parto, a perda de individualidade, o isolamento da figura maternal. Tudo é escrutinado até ao mais ínfimo pormenor. Nada escapa ao jugo da escritora. Até a crises de amamentação assistimos, e que lufada de ar fresco!

Reitman e Cody conseguem algo não muito comum, representar pequenos momentos do dia-a-dia, inerentes a qualquer vida familiar, e torná-los interessantes, dignos de serem apresentados no grande ecrã. Conseguem-no em grande parte devido à mestria da escrita da argumentista, que equilibra a representação mais humana das personagens com um humor mordaz, sarcástico, quase áspero, que nos acompanha ao longo de todo o filme (bem como nas outras produções que conhecemos da sua autoria).

Mas nada seriam a realização contida e focada, ou a escrita inteligente sem a garra da atuação de Charlize Theron. Com muitos quilos a mais e muitos quilos de glamour a menos, Theron é uma sombra da imagem de uma diva de Hollywood que lhe poderia ser atribuída. Aqui, Theron é Marlo, uma mãe esmagada pelo peso da responsabilidade e, acima de tudo, pelo cansaço. É Marlo de alma e coração, sem maquilhagem e sem quaisquer ilusões. É sem dúvida um papel meritório de premiações e de qualquer destaque que possa acabar por vir a merecer na próxima award season.

Não existem muitos filmes assim sobre maternidade, ou sequer sobre família. Existe um vasto role de comédias ocas que pouco dizem sobre a realidade, existem enormes melodramas, até são mais frequentes os horror flicks de temática familiar. Este registo, algures mais a puxar para o dramadie, é raro e difícil de executar na perfeição. Tully consegue atingir esse tão cobiçado equilíbrio.

8/10

Título original: Tully

Realização: Jason Reitman

Argumento: Diablo Cody

Elenco: Charlize Theron, Mackenzie Davis, Mark Duplass, Ron Livingston

Género: drama, comédia.

Duração: 95 minutos