Steven Morrissey, ex-vocalista dos The Smiths, revelou a sua dieta alimentar numa entrevista a Fiona Dodwell, publicada na plataforma online Tremr. O músico britânico declarou nessa conversa que “os vegan são seres humanos superiores.” Afirmou ainda, não comer qualquer coisa que tivesse uma progenitora.

Morrissey confessou a Dodwell que sempre teve dificuldades na sua alimentação. Pão, batatas, massa e nozes são os únicos elementos que constam na lista da sua dieta. “Não consigo comer nada que tenha sabor”, afirmou na entrevista. “Nunca comi caril, café ou alho”, acrescentou.

Esta entrevista de Morrisey ficou, igualmente, marcada pelas declarações de apoio ao partido de extrema direita For Britain. Assumiu que a líder do partido Anne Marie Waters, figura marcante do movimento anti-islamita britânico, é uma “versão humana da [Margaret] Tatcher.”

O ativismo de Morrissey

Desde o lançamento de Meat is Murder (1985), o segundo álbum dos The Smiths, que Morrissey é reconhecido como um acérrimo defensor dos direitos dos animais. Há vários anos que o músico está envolvido na ação da PETAPeople for the Ethical Treatment of Animals.

Em 2006, uma declaração sua sobre a atividade da Animal Rights Militia – uma milícia defensora dos direitos dos animais que utiliza mecanismos violentos de contra-reação – originou muitas críticas. Morrissey concordou com as respostas violentas em relação às práticas dos produtores de peles e dos investigadores de laboratório. Segundo o próprio, a violência pautava o seu trabalho, pelo que essa era a única linguagem que entendiam.