Vítor Sobral, a convite da empresária Alexandra Lopes, trouxe ao Sai Prego uma reinvenção do clássico da cozinha portuguesa. São sete as opções de prego, desde o mais tradicional, passando pelo prego de porco, ou da horta. O Espalha-Factos foi conhecer o novo espaço da Avenida Conde Redondo, em Lisboa.

No Sai Prego tudo é pensado ao pormenor. Quem lá entra pela primeira vez, pode não o achar, mas dois dedos de conversa com a proprietária Alexandra Lopes, bastam para nos convencer do contrário. Desde a ementa, à decoração, aos funcionários, tudo funciona em perfeita harmonia.

Cozinha Sai Prego

Ao entrarmos no restaurante, damos de caras com uma cozinha aberta, que nos dá logo uma sensação de confiança. “Aqui não há nada a esconder”, pensamos. À esquerda está uma estante gigante cheia de cervejas artesanais, quase em estilo de exposição de arte.

Cervejas artesanais

A verdadeira arte está na parte inferior da sala. A parede está preenchida com uma pintura de Regg Salgado, um artista urbano português. A obra de arte, que capta e prende a nossa atenção, é inspirada na obra “Praia das Maçãs”, de José Malhoa.

Quadro de Regg Salgado

A Praia das Maçãs é o local enigmático onde nasceu o prego. Manuel Dias Prego criou no século XIX esta sandes de carne assada na sua taberna nesta praia de Sintra. O negócio foi de vento em pompa, até ao próprio José Malhoa ter pintado lá o mítico quadro na esplanada do Sr.º Prego.

A ideia de abrir um espaço de restauração ligado aos pregos surgiu depois de uma análise que Alexandra Lopes fez à oferta da capital, no que concerne a esta sandes tradicional. “Há vários pregos por aí espalhados pela cidade, mas não há a casa do prego”, conta a proprietária do espaço.

Os pregos são mesmo a especialidade da carta que o Chef Vítor Sobral criou para o Sai Prego. A parceria surgiu como uma brincadeira entre amigos, que depois de tornou realidade. “O desafio foi este: chegar ao pé do Vítor e dizer-lhe que tinha arranjado uma loja em Lisboa e que achava que tínhamos tudo para fazer um prego”, recorda Alexandra Lopes.

Pregos para todos os gostos e feitios

À frente da cozinha e a executar as diretrizes dadas pelo Chef português, está o sul-americano Juan Baez. A lista de entradas abre logo o apetite. Hoje, vamos arriscar. Começamos com o pé direito com a farinheira grelhada, salada de laranja e hortelã, uma surpresa ao paladar. Um tango entre os sabores, entre o quente e frio, e o doce e salgado.

Farinheira com laranja e hortelã

A Salada de atum marinado, laranja, alface e creme de tomate é uma ótima escolha de entrada. Destaque para a qualidade e o sabor do atum.

Salada de atum marinado

A escolha de cervejas artesanais é variada. A nossa recaiu sobre a Musa em pressão. A Blondi, cerveja da casa, é ideal para acompanhar o prego.

Os sete pregos criados por Vítor Sobral dão um twist ao clássico português. O Tradicional foi reinventado pela carne maturada de 16 dias. Este é o prego da carta que mais se aproxima ao que os portugueses conhecem. Ao Tradicional juntam-se os cogumelos portobello grelhado. A carne é tenra, muito bem temperada e cozinhada no ponto.

prego

Prego Tradicional com cogumelos portobello

O Original Prego é, sem sombra de dúvida, a estrela da casa, e o “mais pedido”, garante Alexandra Lopes. Uma novidade para o paladar, no qual o típico bife grelhado é substituído pelo novilho slow cook com tomate, cebola marinada e bacon.

Original Prego

A batata frita que acompanha todos os pregos é feita em dupla fritura. O resultado é uma batata crocante por fora e cremosa por dentro.

Nem só de vaca se faz o prego

Para quem não é fã de carne de novilho, Vítor Sobral criou quatro pregos igualmente únicos: o Prego de frango com curgete grelhada e chutney de maçã, o Prego de porco, com pickes de maçã verde, o Prego do Mar, de atum com molho especial e o Prego da Horta, com legumes, queijo da ilha e coentros.

Mousse de chocolate e pudim de canela

Na carta do Sai Prego estão também disponíveis os Cachorros.

Nas sobremesas, as escolhas são bem portuguesas, ao estilo de Vítor Sobral. A mousse de chocolate com amêndoa laminada traz o doce de alperce como surpresa. Já o pudim de canela com compota de maçã é uma combinação ganha, que nos transporta para a nossa infância.

Todas as sextas-feiras há música ao vivo no Sai Prego e petiscos especiais para acompanhar.

LÊ TAMBÉM: BANAL E EXTRAORDINÁRIO GANHAM SABOR NA OFICINA DO DUQUE