Fotografia: Freepik

Portugueses não compram opções saudáveis

De acordo com o Observador Cetelem Exercício e Alimentação Saudável 2018, 69% dos cidadãos portugueses têm uma alimentação de qualidade. Os indivíduos entre os 25 e os 34 anos (76%) são os que mais expressam estas preocupações.

Apesar desta tendência crescente, entre o total de inquiridos no estudo, apenas 30% consideram que, na compra de alimentos, mais de 50% dos produtos adquiridos são, efetivamente, as opções mais saudáveis.

São os praticantes de atividades físicas que se revelam os compradores mais assertivos. Neste grupo, 51% dizem que mais de metade dos produtos comprados são saudáveis e cerca 15% dos inquiridos que fazem exercício consideram que mais de 75% das suas compras alimentares são benéficas para a saúde.

A maioria (78%) dos que consideram importante ter uma alimentação saudável optam por comprar nos supermercados e hipermercados. Com valores muito mais baixos, surgem as lojas especializadas neste género de produtos (16%), o comércio tradicional (11%) e as feiras ou mercados (10%).

O Observador Exercício e Alimentação Saudável 2018 tem por base uma amostra representativa de 600 indivíduos residentes em Portugal Continental, de ambos os géneros e com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos.

Artigo em atualização
Mais Artigos
Óscares
Óscares 2021. Os nomeados a Melhor Ator Secundário ‘ao detalhe’