Junho acabou de chegar e com ele vem a World Wide Developer’s Conference (WWDC), um evento da Apple em San Jose destinado principalmente a programadores onde são introduzidas as novas funcionalidades para que possam ser implementadas a tempo do lançamento no outono.

Mas a principal atração é a conferência de abertura a 4 de junho às 18h00 (Lisboa), onde a Apple anuncia as novas versões dos seus sistemas operativos (iOS, macOS, tvOS e watchOS) e tudo o que trazem de novo.

Assim, vamos olhar para todos os rumores e fugas de informação para tentar perceber o que pode estar a caminho dos equipamentos da marca da maçã a partir de segunda-feira.

iOS 12: um update banal mas necessário

iPhone X

Fotografia: Unsplash

Tudo indica que a nova versão do iOS para iPhone e iPad se vai focar em “limpar a casa” depois das mudanças trazidas pelo iOS 11 em 2017, como a nova central de controlo e um sistema de multitasking para o iPad inspirado no Mac.

Para além de bugs mais frequentes do que seria de esperar, a nova linguagem gráfica que veio com o iOS 11 tinha várias inconsistências, muitas das quais ainda não foram corrigidas. Tudo isto contribuiu para um sistema menos aperfeiçoado e estável.

Prevê-se que a Apple abra o uso do rádio NFC, presente desde o iPhone 6, para funções como abrir fechaduras inteligentes. Até agora, o chip serve exclusivamente para pagamentos via Apple Pay.

Em dispositivos Android, a comunicação via NFC é usada para tudo desde ligar a câmaras fotográficas e altifalantes Bluetooth até o uso de tags, pequenos chips programáveis, que são ativos ao tocar no telemóvel.

Outras informações sugerem que a Apple vai implementar uma área de “saúde digital”, de forma semelhante ao que a Google anunciou para o Android P. Esta secção irá apresentar estatísticas como o tempo passado em cada aplicação, e sugestões para um uso mais consciente do dispositivo.

Também há a indicação de que o investimento em Realidade Aumentada (AR), começado com o iOS 11, irá continuar. A plataforma ARKit pode vir a suportar experiências persistentes e partilhadas entre utilizadores.

Tim Cook já afirmou ver grande potencial em AR/VR, o que vai ao encontro do rumor que a Apple está a desenvolver um visor ao estilo HoloLens ou Oculus Go.

macOS 10.14: O (possível) início da convergência

MacBook Pro com macOS High Sierra

Imagem: Apple

Pouco se diz sobre a nova versão do macOS, mas graças a uma fuga da nova versão do Xcode (a plataforma de desenvolvimento para Mac e iOS), temos uma ideia bastante clara do novo tema noturno que afetará todo o sistema.

Nestas imagens, também é possível ver o icon para a aplicação News, que provavelmente vai dar o salto para o Mac (e ficar disponível em mais de três países);

Esta fuga veio da App Store para Mac, que se espera que receba uma nova interface com pré-visualizações em video e a secção editorial Today.

A imagem de fundo também pode revelar o nome desta nova versão. Tendo em conta que as versões do macOS são nomeadas a partir de locais na Califórnia (depois de se terem esgotado todos os felinos), as dunas apontam para o deserto de Mojave.

Para além destas novas informações, há a expectativa que a Apple comece a unificar as suas plataformas do ponto de vista do desenvolvimento.

Isto significa que uma aplicação poderá manter a mesma base comum e ser facilmente adaptada para toque em iOS ou para rato e trackpad ou teclado em macOS.

Contudo, não se espera uma revolução como a Microsoft tentou com o Windows 8. A abordagem da Apple neste assunto deve ser mais calculada, para não correr o risco de afastar utilizadores profissionais.

Mesmo que o futuro cross-platform não esteja pronto para uso geral, não seria a primeira vez que a Apple revela alguns planos a médio prazo na conferência.

tvOS 12 e watchOS 5: Esperam-se poucas novidades

Fotografia: Unsplash

Não se espera nada de revolucionário nestes dois campos. O Apple Watch deve continuar a suportar novas modalidades de exercício e mostradores de relógio. Algumas aplicações em falta, como Podcasts, também seriam uma adição lógica para manter paridade entre dispositivos.

A atual Apple TV sofreu poucas alterações desde o seu lançamento em 2016, e prevê-se que se mantenha assim. Para além de novas funcionalidades para manter paridade com o resto dos produtos, não se espera nada de novo na sala de estar.

Novos produtos?

Mão a segurar AirPods, com MacBook e iPhone em plano de fundo

Fotografia: Unsplash

A WWDC tende a focar-se no software, mas a verdade é que a Apple tem alguns produtos “em atraso”, como o carregador sem fios AirPower, anunciado com os iPhone 8/8+ e X em setembro, supostamente para ser lançado na passada primavera.

Por falar em carregamento sem fios, uma nova revisão da caixa dos AirPods para suportar a tecnologia foi confirmada pela gigante tecnológica de Cupertino, mas tal como o AirPower, ainda nada foi dito desde então.

Os próprios AirPods também ja estão a postos para uma atualização, que supostamente os tornará resistentes à água/suor e capazes de reconhecer “Hey Siri” para operação mãos-livres.

Outro produto com uma atualização iminente é o iPhone SE, o modelo mais acessível que viu sucesso muito além das expectativas.

Aqui os rumores divergem entre um design fullscreen como o iPhone X mas ainda compacto, e um simples “empurrão” de potência e funcionalidades standard como carregamento sem fios através de um painel traseiro de vidro.

Já falta pouco para saber tudo o que nos espera no final do ano, podem assistir a conferência em direto aqui.