Portugal alcançou um novo recorde em zonas balneares, com 608 praias. São mais sete do que no ano anterior, mas ainda há problemas que têm de ser resolvidos, segundo a Associação Sistema Terrestre Zero.

Este número é um recorde desde que entrou a nova legislação. “Houve uma melhoria entre 2017 e 2018, com mais 36 praia de qualidade excelente”, refere a Zero em comunicado. Das 608 praias, 480 são costeiras ou de transição e 128 são interiores (rios ou lagoas).

A nova legislação definiu que tinham de ser realizadas análises até ao final da época balnear anterior. Depois de analisar os dados da Agência Portuguesa do Ambiente, a Zero concluiu que há oito novas zonas balneares que podem ser frequentadas. De acordo com a Zero, Portugal tem 529 zonas balneares excelentes, 46 boas, oito aceitáveis e cinco más. As restantes praias são novas ou ainda não estão classificadas.

Onde ir e que praias evitar

Das oito novas zonas balneares, há duas novas praias costeiras e ambas são em Machico na Madeira: Maiata e Quinta do Lorde. As outras seis são interiores: São Gião (Oliveira do Hospital), Albufeira de Esteveínha (Alfândega da Fé), Fontes (Abrantes), Castelo Novo (Fundão), Mega Fundeira (Pedrógão Grande), e Alqueidão (Tomar).

As zonas balneares de menor qualidade são baseadas em avaliações de mais do que a época balnear passada. As zonas com qualidade má são: Gorgulho (Funchal, Madeira), Praia do Forte (Figueira da Foz), Foz do Lizandro-Rio (Mafra), Zebreiros (Gondomar), e Merelim S.Paio (Braga). A Zero referiu que as últimas duas não vão abrir este ano.

A Agência Europeia do Ambiente divulgou na terça-feira um relatório onde concluiu que Portugal tem 87,7% de zonas balneares com água de qualidade excelente. “Portugal continua a falhar o objetivo da diretiva europeia” nesta matéria, avisou a Zero. Segundo as regras europeias, todas as águas balneares devem ser classificadas como “aceitável”. Tal devia ter acontecido até ao final da época balnear de 2015, mas ainda não acontece. O Estuário do Tejo continua a ser uma das preocupações da Associação.

Apesar destas melhorias, a associação ambientalista Quercus atribuiu este ano a classificação “Qualidade de Ouro” a 390 praias portuguesas. São muitas, mas menos seis que no ano passado.

Dia 1 de Junho, mais 190 praias começaram a sua época balnear juntando-se às já 49 em funcionamento.