O mês de maio faz chegar ao Reino Unido a nova digressão de Björk. Nesta terça, a islandesa promoveu os concertos no programa Later… with Jools Holland, após um hiato televisivo de sete anos. Com um grupo de flautistas, interpretou as canções The Anchor Song e Courtship.

Os temas são extraídos, respetivamente, de Debut e Utopia —o primeiro e o oitavo discos de Björk, editados em 1993 e 2017. Em palco, a artista fez-se acompanhar das Viibra, coletivo feminino de flautistas que formou durante a gravação do seu último álbum.

Uma versão alargada do episódio será transmitida no próximo sábado, contendo outra atuação de Björk.

Foi neste programa do canal BBC Two, apresentado desde 1992, que Björk fizera a sua última aparição televisiva; ocorreu em novembro de 2011, com as atuações de Crystalline, Cosmogony e Thunderbolt, faixas do álbum Biophilia.

A artista tem um longo historial com o formato britânico, onde, de 1997 a 2011, atuou 13 vezes. As performances encontram-se reunidas num DVD lançado pela artista em 2003 e reeditado em 2012.

A era de Utopia

Nos dias 12 e 13 de abril, no islandês Háskólabío Theater, a compositora abriu portas aos ensaios da tournée de Utopia. A primeira data tem lugar a 27 de maio, no festival londrino All Points East; as restantes datas passam por países como Espanha, França e Suécia.

A produção de Utopia, editado no passado mês de novembro, ficou a cargo de Björk, que colaborou extensivamente com Arca. Criticamente aclamado, o álbum gerou três singles, incluindo o mais recente Arisen My Senses. O seu videoclipe, realizado por Jesse Kanda e patrocinado pela plataforma WeTransfer, representa o renascimento de Björk e Arca num mundo fantástico.

A digressão tinha originalmente uma paragem em Portugal, no último dia do Vodafone Paredes de Coura 2018. A atuação foi cancelada por motivos logísticos.  Arca apresenta-se no Palco Pitchfork do NOS Primavera Sound, a 9 de junho.