Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos, o filme mais recente do realizador português João Salaviza e da realizadora brasileira Renée Nader Messora, recebeu o Prémio Especial do Júri em Un Certain Regard, uma secção do Festival de Cannes. A equipa aproveitou a atenção que o filme recebeu no festival para apelar aos direitos dos indígenas no Brasil.

O filme é um documentário que resultou de cerca de nove meses passados com os Krahô, um povo indígena do Brasil. O protesto feito pela equipa do filme seguiu-se após a mobilização de líderes indígenas que acusaram o governo do presidente Michel Temer de negar-se a demarcar as terras indígenas ou de favorecer os empresários rurais.

Segundo os realizadores, o atual discurso político parte do pressuposto que se pode negar condições aos indígenas pelo mero facto de estes terem adotado costumes ocidentais, como roupa e ter um telemóvel.

“Ser indígena é um modo de ser e não de aparentar”

Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos ainda não tem data de estreia em Portugal.