A 20th Century Fox acaba de desvendar o primeiro “aperitivo” do aguardado filme biográfico sobre os Queen. Intitulado Bohemian Rhapsody, o filme conta com Rami Malek no papel de Freddie Mercury, o malogrado vocalista do grupo britânico. Ainda não há data de estreia nas salas portuguesas, mas o filme tem estreia no mercado norte-americano a 2 de novembro.

A única coisa mais extraordinária que a música é a história dele“. Esta é uma frase de destaque do trailer do filme biográfico dos Queen, desvendado esta terça-feira. A pessoa visada nesta citação é, claro, Freddie Mercury.

Rami Malek, conhecido principalmente pela série Mr. Robot, é o ator escolhido para representar Freddie Mercury. Quase uma década depois das conversações iniciais relativas às intenções de querer iniciar a rodagem deste filme, a ação de Bohemian Rhapsody vai desenrolar-se nos primeiros 15 anos de carreira dos Queen, desde a sua formação até à atuação histórica no Live Aid, em 1985.

A História conturbada deste Filme

À semelhança da própria banda, os bastidores desta longa-metragem foram marcados por episódios controversos. Brian May, guitarrista dos Queen, falou deste projeto numa entrevista à BBC em setembro de 2010. Na mesma, revelou que o ator Sacha Baron Cohen (Ali G e Os Miseráveis) foi o escolhido para representar Freddie Mercury no grande ecrã e que ele próprio estaria encarregue na produção deste filme.

Em 2013, o ator acabou por sair do filme por não se identificar com a direção levada pela produção cinematográfica. Numa entrevista ao talk-show de Howard Stern, o também comediante revelou que os antigos colegas de Freddie Mercury estavam mais “interessados em proteger o legado da banda”.

“The Show Must Go On”

Três anos depois, o elenco principal foi anunciado, tendo Rami Malek como o escolhido para interpretar Freddie Mercury. De atores conhecidos pelo grande público, destaca-se também a inclusão de Mike Myers (Austin Powers) no filme, mas, até à data, desconhece-se o papel que irá desempenhar.

O processo de pré-produção começou em julho de 2017, com Bryan Singer na cadeira de realizador. No entanto, o mesmo foi dispensado, por alegados conflitos criativos com elementos da produção. Não há uma explicação oficial que esclareça este assunto. Em dezembro desse ano, a produtora 20th Century Fox recrutou Dexter Fletcher para finalizar o projeto.