Versão dançada da pintura Jardim das Delícias Terrenas, de Hieronymus Bosch, da coreógrafa Marie Chouinard, vai ser apresentada no Centro Cultural de Belém (CCB), nos dias 18 e 19 de maio (sexta e sábado).

Integrado no Ciclo Hieronymus Bosch, o espetáculo sugere uma representação do corpo humano que vai ganhando múltiplas dimensões na sua relação com a dinâmica do gesto, recorrendo ao vídeo, à voz, à poesia visual, a próteses, à manipulação em tempo real de som e imagem.
Bosch

Foto: divulgação

A coreografia reflete uma leitura virtuosa da pintura. Nela, a história da humanidade parece atravessar os corpos dos bailarinos, pondo em evidência o limite da representação figurativa nos movimentos.

Marie Chouinard ficou responsável pela coreografia, cenografia, vídeo, desenho de luz, figurinos e adereços. A cargo de Louis Dufort ficou a música original.

A interpretação é de Sébastien Cossette-Masse, Morgane Le Tiec, Luigi Luna, Carol Prieur, Clémentine Schindler, entre outros bailarinos.

O espetáculo foi criado no Theatherfestival Boulevard, na Holanda, em 2016. É uma produção da Compagnie Marie Chouinard com a Fundação Hieronymus Bosch, que assinala o 500.º aniversário da morte do pintor.

A coreógrafa

Foto: página oficial Compagnie Marie Chouinard no Facebook

Após um percurso iniciado em 1978, em que se dedicou à criação de peças a solo, Marie Chouinard, coreógrafa canadiana, fundou, em 1990, a sua própria companhia de dança.

Com os seus trabalhos Les Trous du Ciel (1991) e The Rite of Spring (1993), com música de Stravinski, foram reveladas as questões e os interesses que marcam a sua linguagem coreográfica muito pessoal.

Onde e quando ver

A peça tem a duração de uma hora e quinze minutos, é indicada para maiores de 16 anos e os bilhetes variam entre 8 e 30 euros. Ambas as sessões, nos dias 18 e 19, serão às 21h00 no Grande Auditório.

LÊ TAMBÉM: IMPROMPTUS: RASGOS, LINHAS RETAS E COR(PO)