bons
Bons Sons

Já se escutam Bons Sons em Cem Soldos

A fechar a semana, a equipa do Espalha-Factos dirigiu-se a Cem Soldos, pertencente ao concelho de Tomar, a fim de descobrir todas as novidades que o festival Bons Sons 2018 tem preparado para nós.

Um amor de verão pelo rural

De 9 a 12 de agosto, esta aldeia vai encher-se de milhares de festivaleiros prontos a descobrir as recentes tendências da música lusitana, com os seus oito palcos e dezenas de atuações. Com o cartaz anunciado, o Bons Sons é já um ponto de referência no mapa de festivais de verão portugueses.

Criado em 2006 pela SCOCS (Sport Club Operário de Cem Soldos), Bons Sons ganha na antecedência, sendo o primeiro festival de música portuguesa a ser criado. Manteve-se bi-anual até 2014, tendo, desde aí, passado a realizar-se anualmente. Em oito edições, este é um evento que já recebeu 278 concertos e 238.500 visitantes.

Lê também: Bons Sons: Cem Soldos de amor.

Sobre o local: situando-se a cinco quilómetros da cidade de Tomar, Cem Soldos é o amor de verão que tem conquistado a maioria esmagadora que, tendo ido, decide repetir a experiência. É esta a região que, na segunda semana de agosto, serve de “espaço de pensamento da cultura, da música e do rural”, onde a música acontece nos espaços mais improváveis e o ambiente familiar se gera naturalmente.

A nona edição de Bons Sons

Esta edição vai marcar-se, mais uma vez, pela renovação. Muda-se o ano, mudam-se os nomes e criam-se novos palcos.

Em primeiro lugar, deixa de existir o conhecido Palco Eira, de modo a nascer um novo Palco Zeca Afonso, um auditório natural onde vão tocar nomes como PAUS ou Linda Martini. Desse modo, não nos surpreendemos, também, com os novos Palco Amália e Auditório Agostinho da Silva, outrora denominados Palco Tarde ao Sol e Auditório Cem Soldos, respetivamente.

Por outro lado, em relação à restauração e alojamento, ambas as áreas surgem aumentadas e reforçadas. Nesta nona edição, existirá a novidade de pagamentos cashless, a partir da pulseira do festival, que estará equipada com um chip, servindo-se de moeda do festival.

Até agosto, os passes de quatro dias custam 40 euros , assim como os bilhetes diários custam 20 euros até finais de julho. Ambos poderão ser adquiridos nos locais habituais.

Mais Artigos
Manuel Luís Goucha nas tardes da TVI
Goucha. ‘Você na TV!’ tem fim marcado e já se sabe nome do novo programa