O canal História estreia De Guernica a Hiroxima, um documentário sobre os bombardeamentos de guerra de 1937 a 1945. A exibição é feita a 26 de abril (22h45), dia em que se assinala o 81º aniversário do bombardeamento de Guernica.

A ação de De Guernica a Hiroxima inicia-se a abril de 1937, quando Guernica e as cidades chinesas de Chongqing e Xangai foram fustigadas com bombardeamentos. O documentário termina em agosto de 1945, data em que os americanos lançaram as bombas atómicas Little Boy e Fat Man em Hiroxima e Nagasáqui.

Ao contrário de outros documentários, que se focam nas grandes batalhas, De Guernica a Hiroxima mostra uma mudança no paradigma dos conflitos internacionais: é uma história da destruição e do terror das bombas destinadas a atingir civis, uma nova forma de fazer guerra.

“A Segunda Guerra Mundial viu nascer uma ideia horrenda da noção alucinante de que ao bombardear populações civis poder-se-ia obter a vitória mais rapidamente”,  diz o narrador no trailer.

A utilização de bombas durante o período histórico retratado no documentário transformou para sempre o mundo e a maneira de fazer guerra. Após a vitória dos Aliados, foram criadas inúmeras estruturas de cooperação global. A guerra que se seguiu foi a Guerra Fria, mas nunca mais se verificou um conflito armado à escala mundial.

O documentário divide-se em duas partes de aproximadamente 50 minutos cada. A primeira parte, The Spiral (A Espiral), foca-se na estratégia militar e na destruição de populações civis. A segunda parte, The Blaze (A Labareda), evidencia a mudança do mundo após a Segunda Grande Guerra, devido à capacidade humana de autodestruição.

De Guernica a Hiroxima ganhou o prémio Terre(s) d’Histoire em 2017 no Festival International du Grand Reportage d’Actualité. Foi realizado por Emmanuel Blanchard e Fabrice Salinié.

Lê Mais Genius: 3ª Temporada Será Sobre Mary Shelley