Kendrick Lamar venceu o Prémio Pulitzer de Música de 2018 pelo álbum DAMN. Consagra-se assim o primeiro rapper a ganhar um Prémio Pulitzer. Mais do que uma vitória para Kendrick, é uma vitória para o hip hop.

O anúncio foi feito esta segunda-feira (17). O júri do Prémio Pulitzer classificou o mais recente disco de Kendrick uma “coleção de músicas virtuosas unificadas pela sua autenticidade vernacular e dinamismo rítmico” que “captam a complexidade da vida afro-americana moderna”.

O rapper ainda não teve tempo de se pronunciar acerca do prémio atribuído ao seu mais recente trabalho. Requisitado em duas atuações no Coachella, Kendrick participou nas performances de SZA e Vince Staples, razão que pode estar por trás do silêncio do artista.

Enquanto K-dot não se pronuncia, Punch, figura central da editora de Lamar, a Top Dawg Entertainment, disse no twitter não querer nada menos do que respeito quando se falar do rapper do Compton.

https://platform.twitter.com/widgets.js
DAMN. foi lançado há quase exatamente um ano e foi instantaneamente aclamado pela crítica. Foi nomeado para vários Grammys, incluindo Melhor Álbum Rap – do qual foi vencedor -, e Álbum do Ano. Fez parte das listas de melhores álbuns de 2017 de inúmeras publicações musicais de referência e foi absolutamente unânime na sua receção pelos fãs.

O Prémio Pulitzer, fundado em 1917, estabeleceu a categoria de Música em 1943. Pela primeira vez o prémio é atribuído a um género que não a música clássica ou o jazz. Hoje há mais uma razão para pôr DAMN. a rodar: Kendrick e o hip hop estão de parabéns.