Virginie Despentes, Han Kang, László Krasznahorkai, Antonio Muñoz Molina, Ahmed Saadawi e Olga Tokarczuk são os finalistas do Man Booker Prize International. O anúncio foi feito esta quinta-feira, na Somerset House. em Londres. O vencedor será conhecido no final de maio.

Entre os seis finalistas, dois já venceram edições anteriores. 

Han Kang é finalista com o romance The White Book, traduzido para inglês por Deborah Smith, venceu o Man Booker Prize International em 2016. Já o húngaro László Krasznahorkai, autor do livro The World Goes On, com tradução de John Batki, Ottilie Mulzet e George Szirtes, venceu o mesmo prémio em 2015.

Na lista para a edição de 2018 constam também a francesa Virginie Despentes, com Vernon Subutex 1, numa tradução para língua inglesa de Frank Wynne, o espanhol Antonio Muñoz Molina, com Like a Fading Shadow, traduzido por Camilo A. Ramirez, o iraquiano Ahmed Saadawi, com Frankenstein in Baghdad, traduzido por Jonathan Wright, e a polaca Olga Tokarczuk, com Flights, numa tradução de Jennifer Croft.

Esta é uma pequena lista emblemática das muitas aventuras da ficção. Temos meditações hipnóticas, histórias estridentes, sensuais, do estado da nação, assombrosos e fantásticos contos, enigmáticos gabinetes de curiosidade e ousados atos imaginativos; tudo isto num encontro brilhante com a prosa e a tradução“, afirmou Lisa Appignanesi, presidente do júri da edição de 2018.

Os prémios dos anos anteriores

Em 2017, foi o autor israelita David Grossman, com o romance A Horse Walks Into a Bar, traduzido por Jessica Cohen e publicado pela editora inglesa Jonathan Cape, quem arrecadou o prémio.

Em 2016, o romance premiado foi A Vegetariana, da coreana Han Kang, no ano em que José Eduardo Agualusa esteve nomeado (com Teoria Geral do Esquecimento).

Este ano, o vencedor será anunciado a 22 de maio, numa cerimónia em Londres.

O Man Booker Prize International distingue anualmente as melhores obras literárias internacionais traduzidas para inglês e publicadas no Reino Unido. O prémio são 50 mil libras (o equivalente a 57 mil e 600 euros), a dividir pelo autor e pelo tradutor.

LÊ TAMBÉM: BURGUESES SOMOS NÓS TODOS OU AINDA MENOS: NOVO LIVRO DE MÁRIO DE CARVALHO