La Casa de Papel é o fenómeno televisivo de 2018. A Netflix adicionou a série ao seu catálogo internacional no início deste ano, porém, a produção original do canal espanhol Antena 3 já tinha sido exibida no país vizinho entre maio e novembro do ano passado.

Depois da chegada ao serviço de streaming, a produção foi catapultada para a ribalta de forma inesperada. Esta não é a primeira vez que se dá este feito: no início deste ano, The End of the F***ing World, série britânica do Channel 4, foi adquirida pela Netflix para distribuição internacional, tornando-se igualmente um dos maiores sucessos da televisão de 2018.

Espalha-Factos reuniu cinco séries europeias, de vários géneros, que se poderiam tornar o próximo sucesso de êxito internacional da plataforma de streaming. Teremos uma nova La Casa de Papel?

SKAM (Noruega)

séries europeias

Provavelmente a mais conhecida desta lista, SKAM é uma série norueguesa que retrata a vida de vários jovens, estudantes de uma escola privada nos arredores de Oslo.

Produzida pela NRK, a emissora estatal da Noruega, a produção, já terminada, tem quatro temporadas. Cada episódio segue um personagem diferente, no entanto, todos aparecem nas quatro temporadas. A série teve também uma forte ligação com o público online, através da partilha diária de conteúdos que, no final da semana, surgiam no episódio.

Considerada uma versão moderna de séries ao estilo de Skins, esta produção norueguesa lida com temas como a homossexualidade, identidade, distúrbios alimentares, violação, saúde mental e religião.

Com uma base de fãs alargada nas redes sociais, SKAM, se distribuída internacionalmente (os episódios só podem ser vistos pelo público internacional no site do canal norueguês), poderia tornar-se num dos maiores sucessos da plataforma.

Lê também: Oito motivos pelos quais adoramos ‘La Casa de Papel’

Até ao momento, já foram vendidos os direitos de adaptação para mais de sete países, incluindo os Estados Unidos – Shame deverá estrear este ano no Facebook Watch, plataforma de vídeo da rede social.

Vis a Vis (Espanha)

séries europeias

Mais uma produção espanhola que se destaca aos olhos dos críticos. Semelhante a Orange is The New Black, só que diferente: adicione-se mais algum drama, ação e suspense e temos Vis a Vis.

A série do canal Antena 3 segue Macarena, uma mulher que, acusada de delitos fiscais, acaba na prisão de Cruz del Sur. Refletindo o dia-a-dia das reclusas e de um grupo de funcionários da penitenciária, mostra a evolução de uma personagem que, envolvida numa trama perigosa, se transforma numa sobrevivente sem escrúpulos.

Com duas temporadas até ao momento, a terceira estreia este mês na FOX Espanha — e também já tem uma quarta confirmada.  Tendo sido a primeira série espanhola a ser exibida em canal aberto no Reino Unido, já teve os seus episódios a ser exibidos em Portugal através da SIC Radical.

Fertile Crescent (França/Israel)

séries europeias

Uma co-produção entre França e Israel, Fertile Crescent ainda está longe de estrear — mas já tem os ingredientes certos para o sucesso.

Este é um thriller de espionagem e drama familiar que conta a história de um homem francês que pensa ver a sua irmã Nathalie — que julgava morta num atentado — viva numa reportagem que dá conta dos avanços do exército Curdo feminino contra uma célula do Estado Islâmico.

Lê também: Quais foram as teorias certeiras sobre o fim de ‘La Casa de Papel’?

De acordo com os produtores, Fertile Crescent tem personagens fortes e complexas, fiéis aos locais onde a série decorre. Além disso, conta uma história que poderá atingir o público internacional de uma forma inesperada, devido à temática que aborda.

A produção foi vencedora de um festival de televisão no ano passado, recebendo 50.000€ para desenvolvimento de projeto. A distribuição mundial pela Netflix seria a cereja no topo do bolo para o êxito da produção.

The Team (Vários países)

séries europeias

Uma produção conjunta entre vários países europeus (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Alemanha e Suíça), The Team segue várias agências de polícia que trabalham sob a alçada da Europol para investigar o crime organizado além-fronteiras.

Com um toque de noir nórdico, inicia-se uma investigação europeia liderada por um detetive dinamarquês, uma detetive belga e uma inspetora alemã. A equipa investiga o assassinato de várias mulheres nas capitais dos seus países de origem, que segue um padrão comum.

A busca leva A Equipa a percorrer vários países europeus, lidando com temas como o tráfico humano, prostituição, fraude fiscal e a forma como o crime organizado afeta as várias camadas da sociedade.

Falada em inglês, a produção estreou em 2015 na Dinamarca e tem uma segunda temporada agendada para estreia já este ano, embora sem grandes detalhes sobre o seu enredo.

Tjockare än Vatten / Thicker Than Water (Suécia)

séries europeias

Exímio exemplo do Scandi NoirTjockare än Vatten apresenta uma intriga clássica que se centra numa história familiar.

Uma mãe junta os seus três filhos, já adultos, para uma reunião familiar. No entanto, durante a estadia nas ilhas Åland, na Suécia, os irmãos desvendam uma série de segredos negros, pertencentes ao passado da sua família. Com revelações chocantes e uma batalha de herança pelo meio, a situação que aparentava ser alegre rapidamente ganha outros outros contornes mais sinistros.

A série prende os espectadores com reviravoltas inesperadas e mantém no escuro todas as revelações até aos momentos finais.

A produção sueca da SVT, em parceria com a emissora finlandesa YLE, conta com duas temporadas já terminadas de dez episódios cada.