O North Music Festival já tem cartaz completo. O festival que mudou casa de Guimarães para o Porto vai ter lugar a 25 e 26 de maio, na Alfândega do Porto.

Nomes como The Prodigy, Gogol Bordello, Guano Apes, Linda Martini, Slow J, Da Chick e First Breath After Coma já estavam confirmados. A eles juntam-se os Mão Morta, com o concerto especial Mutantes S21, ainda inserido nas comemorações dos 25 anos da publicação do álbum.

Em conferência de imprensa, o diretor do festival, Jorge Veloso, lembrou que o evento quer ser diferente dos demais. Por isso, e sendo um festival a Norte fazia sentido apostar numa banda nortenha. “Uma banda de culto, portuguesa e com carisma”, explicou o diretor. Jorge Veloso lembrou que o álbum Mutantes S21 foi dos melhores a nível nacional. No entanto, o espetáculo de celebração dos seus 25 anos, que percorreu o país no ano passado, não passou pelo Porto.

Ao cartaz juntam-se ainda os Ermo, Xinobi Live e Dj Ride. Os nomes que vão pisar o palco principal da Alfândega do Porto ficam assim conhecidos.

Com um cartaz com sonoridades variadas, o North Music Festival apostou em estilos que vão do rock ao pop, do hip hop à eletrónica. No entanto, o organizador deixou clara a sua vontade em “voltar a ouvir o som das guitarras nos festivais, bem alto”.

Cartaz:

25 de maio

Gogol Bordello

Guano Apes

Linda Martini

Da Chick

Ermo

Xinobi Live

26 de maio

The Prodigy

Mão Morta – Mutantes S21

Slow J

First Breath After Coma

Dj Ride

Experiências além da música

Na sua intervenção, Jorge Veloso deixou bem marcada a ideia de não querer fazer do North Music Festival só um festival. O organizador explicou a importância que o local escolhido tem para a qualidade do evento. “A Alfândega do Porto é um local que dispensa apresentações e está no coração do Porto”, frisou.

Um festival mais urbano, arrojado e transversal a todo o tipo de público é aquilo que a organização pretende. Marcar a diferença e uma posição a Norte é outro dos pressupostos do evento. “Faz falta um festival destes, no Porto”, explicou Jorge Veloso.

Apesar da proximidade ao Primavera Sound, a organização não se mostrou preocupada e explica ter ponderado os riscos. “Os públicos dos dois festivais são diferentes. O North Music Festival é mais comercial e transversal”.

Além da música, o público vai poder contar com outro tipo de espaços. Zona de Entretenimento, Bar, Restauração, Wine Bar, Área de DJ’s e uma zona exterior (palco principal) são alguns exemplos. Os festivaleiros podem ainda contar com momentos de animação itinerante e do chamado Espaço FNAC, também destinado às crianças. Aí vão poder contar com a exibição de filmes e vídeos, jogos ou uma oportunidade para carregar o telemóvel.

Um festival com uma elevada preocupação com as infraestruturas, é assim que a organização o carateriza. “Procuramos saber o que falha nos outros festivais, para podermos melhorar no nosso”, explicou o organizador.

Além desta preocupação, a organização teve em atenção a adesão de turistas. As experiências de street food (mexicana, bifanas, francesinhas, entre outras) aliadas às provas de vinhos do Norte tornam-se numa porta de entrada. Jorge Veloso acrescentou que o evento quer mostrar aos seus visitantes a qualidade dos produtos a Norte.

O bilhete para um dia do festival custa 35 euros e o passe para os dois dias fica pelo preço de 59 euros.