Perante um cenário de consecutivas quedas no mercado das aplicações móveis, o Snapchat adopta agora uma nova estratégia na tentativa de aliciar novos utilizadores à plataforma.

A empresa lançou no fim de semana o primeiro anúncio televisivo dirigido a um público mais velho.

Quando os filhos perdem o interesse, a empresa volta-se para os pais

Os filtros que nos transformam em coelhos, cães ou princesas já não são novidade para os mais novos e muito menos exclusivos do Snapchat. As stories do Instagram,  Facebook e, até do WhatsApp, colocam a Snap Inc., empresa detentora do Snapchat, em desvantagem.

Por este motivo,  Evan Spiegel, director executivo da Snap Inc., optou por procurar um público mais velho, para quem este universo possa ser desconhecido.

Com este objectivo em mente, a empresa lança o primeiro anúncio televisivo. Em 60 segundos o Snapchat apresenta-se como uma aplicação inovadora, que potencia a câmara de qualquer smartphone. Novas características e uma mão cheia de possibilidades.

Resta saber se este formato tem interesse para o novo público.

Um jogada de desespero

O lançamento das stories do Instagram, do Facebook e do WhatsApp originou uma queda, na ordem dos 82%, no crescimento da empresa.

Este ano, Spiegel tentou contrariar a tendência decrescente. O novo design da aplicação não resultou e foram mais de 1 milhão de utilizadores que se manifestaram contra a mudança.

No passado mês de março, a empresa esteve também envolvida numa polémica com a cantora Rihanna, que levou a uma perda de mais de 700 milhões de euros. A conjuntura de acontecimentos obrigou a empresa a mudar a estratégia de maneira a contrariar a atenção negativa que tinha recebido.

Assim, a mais recente campanha do Snapchat parece indicar que a marca desistiu de lutar pelos utilizadores mais novos, que representam a aposta inicial da aplicação. Mas esta é uma mudança quase que forçada, numa altura em que são poucas as alternativas que restam à empresa caso queira manter o seu formato original.