Noiserv é um baú cheio de brinquedos, instrumentos musicais e melodias que pertence ao “homem-orquestra” lisboeta David Santos. Desde 2005 que David o vai preenchendo com canções repletas de sonhos, memórias e fantasias.

Noiserv conta já com três álbuns editados. O primeiro é One Hundred Miles from Thoughtlessness, que o artista lançou em 2008. Em 2013, surge Almost Visible Orchestra, disco premiado pela Sociedade Portuguesa de Autores como o melhor desse ano. O último álbum é 00:00:00:00, editado em 2016, que marca uma viragem na sonoridade típica do artista. Pelo meio, lançou um EP em 2010 (A Day in the Day of the Days) e um DVD em 2014 (Everything Should Be Perfect Even If No One’s There). Conta já com várias centenas de atuações ao vivo, tanto em Portugal como no estrangeiro.

Se se fizerem bem as contas, Noiserv faz 13 anos em 2018. Para celebrar o seu aniversário, vai atuar ao vivo no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa, no próximo dia 5 de abril. O lisboeta sobe ainda ao Passos Manuel, no Porto, no dia 11 do mesmo mês. Também no Espalha-Factos deixamos a nossa homenagem à carreira a solo de David Santos, escolhendo as suas 13 músicas que mais nos marcaram ao longo dos anos.

Melody Pops (One Hundred Miles from Thoughtlessness, 2008)

Compreender a música de David Santos não é difícil. Aliás, a simplicidade é algo que caracteriza intrinsecamente o trabalho do lisboeta, que escreve os sonhos, os medos, as fantasias e as realidades na mesma folha.

Melody Pops é o exemplo perfeito disso. O tema faz parte do primeiro álbum de Noiserv, One Hundred Miles from Thoughtlessness, e é uma ótima introdução ao trabalho a solo do lisboeta.

Bullets on Parade (One Hundred Miles from Thoughtlessness, 2008)

There was a time when I spoke to death, but I was dead before. My ship is in a parade, I’m just taking over”, canta Noiserv. Em Bullets on Parade, os dotes de compositor de David Santos fazem-se notar em todo o seu esplendor. Abordam-se temas como o envelhecer, o pensamento excessivo, a morte.

Finally I understood that the parade is my head and that kids in the garden are only my thoughts”, afirma o protagonista a meio da canção. Bullets On Parade é um momento incontornável na carreira a solo de David Santos. É o ponto alto do seu primeiro álbum.

Download (One Hundred Miles from Thoughtlessness, 2008)

Download sublinha a beleza da simplicidade de Noiserv em pouco mais de três minutos. Sente-se cada camada que o compositor vai acrescentando ao longo da música. Começam a cantar guitarras no início do tema; de repente, um xilofone, um acordeão e um piano vão surgindo em traços suaves de melodias.

Para além disso, David Santos joga muito bem com a ideia de download na letra da canção. “Take a download when I’m home, click and take me now”, vai repetindo. A repetição melódica é a chave de sucesso desta canção, que é tão simples quanto bela.

Mr. Carousel (A Day in the Day of the Days, 2010)

Uma das influências de David Santos enquanto Noiserv, e ele próprio já o admitiu, é Yann Tiersen, o compositor francês conhecido pela banda sonora do filme O Fabuloso Destino de Amélie e por álbuns como C’était ici. Tiersen desenha melodias constantes em formato arpeggi, e é precisamente isso que Noiserv consegue em Mr. Carousel.

Esta é uma das músicas capazes de definir o trabalho a solo do lisboeta. Repleto de um sentimento de alegria e nostalgia, o tema que abre o EP A Day in the Day of the Days mostra que Noiserv não precisa de muito para nos deixar com um sorriso no rosto.

Attenagro (A Day in the Day of the Days, 2010)

Outro artista com quem Noiserv partilha traços artísticos é Radiohead e Attenagro é exemplo disso. É preciso chegar ao minuto e meio do tema para tal se evidenciar: a música cresce e culmina numa fusão de acústico e eletrónico. Tudo com sabor a Noiserv.

Little Maestro (A Day in the Day of the Days, 2010)

Não há nada que enganar: Little Maestro é o culminar de tudo que David Santos foi aprendendo ao longo da sua carreira até ao momento. Riffs suaves de guitarra, xilofones e pianos deliciosos, pedaços de uma voz eletrónica que nos acompanha ao longo da música… Este tema tem um pouco de tudo.

A par com Luís Costa, Noiserv entrega-nos uma razão para voltar com frequência à sua sonoridade. Ele próprio o canta: “a place to dance when you come back”. E se, entre toda a discografia de David Santos, esta faixa não é das mais ouvidas, certamente merece.

Palco do Tempo (José & Pilar OST, 2010)

Em Palco do Tempo, Noiserv faz algo que não é comum: cantar em português. E fá-lo de maneira sublime, com uma letra e uma produção musical excelentes. Esta faixa faz parte da banda sonora do documentário José & Pilar e é mais um momento a ter em conta na carreira eclética do compositor.

This Is Maybe the Place Where Trains Are Going to Sleep at Night (Almost Visible Orchestra, 2013)

Depois de One Hundred Miles from Thoughtlessness, editado em 2008, segue-se Almost Visible Orchestra. Note-se que este disco foi distinguido pela Sociedade Portuguesa de Autores como o melhor disco de 2013. This Is Maybe the Place Where Trains Are Going to Sleep at Night é a sua primeira faixa e é uma maravilhosa introdução ao álbum premiado.

Por entre melodias sôfregas e vozes intercaladas, Noiserv pinta um mundo de fantasia da maneira a que já nos tinha habituado: simples e repetitivamente. É fácil deixarmo-nos levar pela sua magia.

It’s Easy to Be a Marathoner Even If You Are a Carpenter (Almost Visible Orchestra, 2013)

Noiserv, para além de ser um “homem-orquestra”, é também um contador de histórias. Exemplo disso é It’s Easy to Be a Marathoner Even If You Are a Carpenter, onde o compositor canta sobre Francisco Lázaro. Lázaro foi um maratonista que fez parte da primeira equipa olímpica portuguesa. Faleceu nos Jogos Olímpicos de 1912, em Estocolmo, a meio da maratona onde participou. Foi a primeira vítima mortal dos Jogos Olímpicos.

He ran more than one july, he had 24 and died. I would go there, go there and fight with him”. Noiserv homenageia o atleta com este tema. Mostra empatia e tristeza, quase como se o conhecesse. Outro must na discografia do compositor.

Life Is Like a Fried Egg, Once Perfect Everyone Wants to Destroy It (Almost Visible Orchestra, 2013)

You’ll try to understand. Alone or in a band, you will grow again”. Noiserv olha para si mesmo em Life Is Like a Fried Egg, Once Perfect Everyone Wants to Destroy It, levanta a cabeça e revela um brilho nos olhos.

David Santos quer continuar a crescer musicalmente, sozinho ou numa banda. Talvez esteja a referir-se a You Can’t Win, Charlie Brown, grupo musical do qual faz parte. Talvez esteja a referir-se a momentos passados da sua própria carreira. O que é certo é que a música é maravilhosa.

Don’t Say Hi If You Don’t Have Time for a Nice Goodbye (Almost Visible Orchestra, 2013)

Eis o culminar de um álbum e de um artista. Se é possível definir Noiserv com uma só música, Don’t Say Hi If You Don’t Have Time for a Nice Goodbye é a candidata mais forte. A última faixa de Almost Visible Orchestra faz transparecer tudo o que David Santos nos ensinou ao longo dos anos: a simplicidade, a beleza, o sentimento e a fantasia.

Fala-se de relacionamentos, amizades e solidão. Noiserv repete “alone I can’t say goodbye” ao longo do tema. Don’t Say Hi If You Don’t Have Time for a Nice Goodbye é mais um ponto alto na carreira musical de David Santos.

Sete (00:00:00:00, 2016)

Depois de Almost Visible Orchestra, Noiserv edita 00:00:00:00 em 2016. Este é um álbum diferente: conta apenas com oito canções que, quando não são instrumentais, são cantadas em português.

Sete é uma dessas faixas em que Noiserv não canta. David Santos senta-se ao piano e deixa as melodias dizer tudo o que ele não diz. Adornada por um forte sentimento de nostalgia, Sete poderia facilmente fazer parte de uma banda sonora de Yann Tiersen. Um tema curto, mas bem conseguido.

Dezoito (00:00:00:00, 2016)

Dezoito é a última faixa de 00:00:00:00, o mais recente disco de Noiserv, e soa muito a despedida. “Porque não rir de pé no fim?”, ouve-se no início. Mais uma vez, David Santos canta em português e faz-se acompanhar apenas pelo piano. Dezoito é uma música calma e reflexiva, com súbitos momentos de alegria e liberdade. É o compositor a afirmar-se musicalmente na sua língua materna.