ACID Trip, uma programação paralela do Festival de Cinema de Cannes, é este ano focada no cinema português. As longas metragens portuguesas Colo, de Teresa Villaverde, Verão Danado, de Pedro Cabeleira, e Terra Franca, de Leonor Teles, foram as escolhidas para, entre 11 e 13 de maio, fazer parte da programação.

Depois do ACID Trip #1 ter sido dedicado à Sérvia, a ACID Association du Cinéma Indépendant pour sa Diffusion, convidou a Associação Portuguesa de Realizadores (APR) para fazer parte do segundo ano da programação, escolhendo três filmes de três realizadores portugueses.

Este programa especial, ACID Trip #2, consistirá na projeção das três longas metragens com a presença dos cineastas e na organização de uma mesa redonda sobre cinema português. 

A APR refere, em divulgação na própria página, que esta secção paralela ao festival, “dará visibilidade à diversidade do cinema português” e conta ainda que a secção “ foi inaugurada no ano passado, quando a nossa congénere Band à Part foi representar a Sérvia”, dando ênfase à participação portuguesa no cinema europeu.

Colo, de Teresa Villaverde, foi apresentado em competição no Festival de Cinema de Berlim e, retrata uma família de classe média sob os efeitos da crise económica. Pode ser visto atualmente nas salas de cinema nacionais.

Verão Danado, de Pedro Cabeleira, é sobre Chico, jovem licenciado em Filosofia que vai para Lisboa à procura de emprego. Foi apresentado no Festival de Locarno onde venceu uma menção honrosa, e contou com estreia em salas de cinema portuguesas.

Terra Franca, é a primeira longa metragem documental de Leonor Teles. distinguida este mês na sua estreia no Cinéma Du Réel. Incide em Libertino Lobo, um pescador que vive à beira Tejo.