O Instituto Cultural (IC) promove a obra de Eça de Queiroz em Macau, com a publicação de um conjunto de contos reeditados em português e chinês.

A edição bilingue da obra intitulada Contos Seleccionados de Eça de Queirós integra alguns dos contos publicados pela primeira vez em 1902, nomeadamente Um Poeta Lírico, No Moinho, A Aia, O Suave Milagre, Singularidades de uma Rapariga Loura e O Tesouro.

Para além dos contos, o livro inclui uma coleção de artigos assinados pelo escritor português em 1893, na coluna Chineses e Japoneses do jornal brasileiro Gazeta de Notícias.

Capa da edição bilingue de ‘Os Contos Seleccionados de Eça de Queirós’. Foto: Instituto Cultural de Macau

A obra, disponível desde terça-feira (27) integra a Colecção de Literatura Chinesa e Portuguesa do IC, cuja tradução para chinês é da responsabilidade de Han Lili, professora do Instituto Politécnico de Macau.

«A publicação da edição traduzida ‘Contos Seleccionados de Eça de Queirós’ permitirá dar a conhecer aos leitores o estilo de escrita modernista e ‘Queirosiano’ das obras de Eça de Queirós, aprofundando assim o intercâmbio da cultura luso-chinesa», lê-se na página oficial daquela entidade.

Eça de Queiroz (1845-1900), considerado o precursor do Realismo, é um dos autores portugueses mais publicados na China. Consagrado à crítica da vida social portuguesa, O Crime do Padre Amaro foi o seu primeiro romance traduzido, em 1984, para a língua chinesa, ao qual se seguiram O Primo Basílio e Os Maias.

Lê também: Descãoplicar chega esta quinta-feira às livrarias