A americana Nike é atualmente a marca de vestuário mais valiosa do mundo, de acordo com o ranking divulgado pela Brand Finance, empresa de consultoria independente. O pódio fica completo com a H&M e a Zara, que ocupam o segundo e terceiro lugares, respetivamente.

Tal como aconteceu em 2017, a Nike surge como cabeça da lista de 50 marcas de vestuário mais valiosas do mundo. Apesar de se observar uma queda de valorização na ordem dos 12%, a empresa de calçados, equipamentos desportivos, roupa, e acessórios americana conseguiu assegurar o lugar à frente das duas gigantes de fast-fashion H&M e Zara. O valor da Nike caiu de 31.76 bilhões de dólares em 2017 para os atuais 28.03 bilhões de dólares.

Segundo a Brand Finance, a marca encontrou algumas dificuldades no passado ano especialmente dentro do mercado norte-americano devido à “redução de popularidade entre os adolescentes”. O facto de a empresa ter enfrentado alguns problemas relacionados com uma gestão inadequada, com dois executivos a deixarem a marca no inicio deste mês, pode vir a ser motivo para uma “diminuição ainda maior da força e do valor da marca no próximo ano”.

Como adversária direta surge a Adidas a ocupar o quarto lugar da tabela. A marca alemã especializada na área desportiva vale atualmente 14,3 bilhões de dólares, mais 41% do que o ano passado, um crescimento que vem colocar em causa a liderança da Nike no ranking do próximo ano.

Ainda no setor desportivo observa-se uma desvalorização da Skechers, Asics e da Converse. Marcas como a Puma, The North Face, e Anta encontram-se em ascensão, bem como a Reebok e a Moncler que, após não conseguirem um lugar na lista em 2017, ocupam agora a 45ª e 35ª posição, respetivamente.

Evolução da valorização das marcas líderes

O pódio fica completo com a H&M e a Zara, que preservam o segundo e terceiro lugares conquistados em 2017. Apesar de não se observar uma alteração de posições em relação ao ano passado também a Zara se afirma como uma ameaça ao conseguir um aumento de 21% na valorização, colocando-a cada vez mais perto da marca de fast-fashion sueca.

A Brand Finance avança ainda a existência de uma tendência cada vez maior para o consumo de produtos de luxo, resultando num aumento da valorização das quatro maiores produtoras da área: Hermes, Louis Vuitton, Cartier e Gucci. Segundo a Brand Finance, a liderança do mercado de luxo por parte da Hermes, que ocupa o 5º lugar do ranking advém da “ concentração no produto e na independência. Com isso, a Hermès desenvolveu uma perceção de marca incrivelmente exclusiva, mas ainda amplamente acessível e, portanto, capaz de alcançar um forte crescimento de receita”.

Lê também: REVELADO O SUPERMERCADO MAIS BARATO

Na lista da Brand Finance encontramos gigantes como Victoria’s Secret, Tiffany & Co., Michael Kors e até a irlandesa Primark. Para o apuramento dos resultados são observadas, além de outras métricas, a participação acionária, o investimento em marketing, desempenho de negócios e taxa de royalties. Podes consultar o ranking completo no site da brand finance.

Nike: uma história de sucesso

Apesar de ter sido oficialmente fundada na década de 60, foi durante os anos 70 que a Nike começou a crescer. Aproveitando a expansão dos mercados desportivos da época, Knight e Bill Bowerman, ambos atletas, uniram-se para criar a marca que viria a ser considerada uma das mais valiosas do planeta. O sucesso tardou mas chegou, provindo em grande parte do trabalho de equipa dos dois atletas. Enquanto Knight se ocupava com o setor de vendas, Bowerman estudava todas as possibilidades de tornar os produtos mais eficientes. Desse trabalho resultou a criação de alguns dos modelos mais icónicos da marca: os Bruin, os Jordan 1 e os Air Force 1.

Campanha promocional do modelo Nike Air Force 1, Outubro de 2017

Além de investimentos na área industrial, a Nike reforça o seu papel no comércio desportivo principalmente através do marketing, que lhe garante sucesso e um lugar de destaque no mundo da publicidade mundial . O “Swoosh”, símbolo que dá imagem à marca foi desenhado por Carolyn Davidson e vendido por 35 dólares na época. Por sua vez o icónico slogan “Just do it” viria a ser criado em 1988, dando ênfase ao movimento, ao esforço atlético e ao quebrar de barreiras.

Atualmente a Nike é patrocinadora de mais de 30 seleções nacionais e de grandes nomes do desporto mundial, entre os quais Cristiano RonaldoNeymar, Andrés Iniesta e Roger Federer.