Na próxima terça-feira, dia 27, assinala-se o Dia Mundial do Teatro e, por todo o país, não faltam espetáculos, exposições ou apresentações de livros. Para assinalar a data, o Espalha-Factos decidiu reunir uma série de sugestões de programas culturais de norte a sul, sem esquecer as ilhas. Nem todas acontecem na terça-feira, por isso, antes ou depois, não percas a oportunidade de assistir e fazer parte das comemorações deste dia dedicado à arte de representar.

Março é, por excelência, o mês do teatro. Todos os anos, vários teatros e companhias abrem as suas portas em iniciativas de entrada livre, que pretendem promover o teatro junto do público e celebrar esta arte que tanto marca a nossa cultura. Estejas onde estiveres, há muitas atividades em que podes participar. Encontra-a nesta lista que preparámos para ti:

Norte

O Teatro Nacional São João (TNSJ), no Porto, volta a promover iniciativas para celebrar o Dia Mundial do Teatro. No dia 27 de março, depois de apresentada a programação para abril/julho, o TNSJ abre as portas para receber todos os que queiram participar, de forma gratuita, nas visitas guiadas a este edifício emblemático da cidade do Porto. A iniciativa decorre às 12h30 e às 15h e dá a conhecer todas as histórias e curiosidades que preenchem o universo teatral da sala de espetáculos, inclusive o ateliê de figurinos e adereços.

Para terminar o dia, às 21h, vai ser exibido o documentário I Don’t Belong Here, de Paulo Abreu, com a duração de 1h15. O filme retrata o processo de criação de uma peça de teatro, passando pelos ensaios, palco e bastidores e parte de um espetáculo coproduzido pelo TNSJ e apresentado no Teatro Carlos Alberto, em 2015, com assinatura de Dinarte Branco e Nuno Costa Santos.

A entrada é livre, porém até ao limite da lotação. É obrigatório o levantamento do bilhete (dois por pessoa), a partir das 13h, na bilheteira do TNSJ.

Foto: João Tuna/TNSJ

Ainda no TNSJ, e se não queres deixar de assinalar a data, podes ainda ver este sábado, às 19h, e domingo, às 16h, a peça Nathan, O Sábio. Com encenação de Rodrigo Francisco, o clássico da dramaturgia mundial da autoria do alemão Gotthold Ephraim Lessing conta com Luís VicenteMaria RueffJoão Tempera Guilherme Filipe nos papéis principais. Os bilhetes custam entre 10 e 12 euros.

Já no Teatro de Sá da Bandeira, podes ver Selfie também este sábado, às 21h30, e domingo, às 17h00. Com encenação de Marcos Caruso e interpretação de Miguel Thiré e Mateus Solano, o espetáculo fala-nos da febre contemporânea sobre a auto-exposição e a necessidade de estar online acompanhando tudo e todos. O preço dos bilhetes varia entre os 15 e os 25 euros.

A Câmara Municipal da Maia e a Maia Cultura prepararam também uma programação especial para assinalar este dia. De 21 a 27 de março, o município propõe mostras de teatro amador, horas do conto e ensaios abertos. Alguns dos eventos são gratuitos, os outros não ultrapassam os 5 euros. Mais informações disponíveis aqui.

Mas não é só na zona do Porto que se festeja este dia. Em Bragança e Vila Real, a festa arranca no dia 27 de março, mas estende-se até 27 de abril com o Festival de Teatro Vinte e Sete. Durante um mês vão ser apresentadas 14 peças, num total de 19 sessões. A edição de 2018 destaca-se pela estreia de Torga – L.I.B.E.R.D.A.D.E., um cineteatro em nove letras, uma criação conjunta dos dois teatros transmontanos no âmbito do projeto Algures a Nordeste, apoiado pelo programa Norte 2020.

No dia 27, destaque para o espetáculo Stand Down, com criação e interpretação Ángel Fragua (a partir de dois contos de Félix Albo) e encenação de Mara Correia. A entrada é livre, mediante levantamento do bilhete.

Foto: divulgação

Se, mesmo assim, não conseguires comemorar a data, não te preocupes. O teatro espera por ti! Raúl, Um Espetáculo de Homenagem a Solnado, na voz de Telmo Ramalho, vai estar em cena de 5 a 22 abril, no Teatro Sá da Bandeira, no Porto. O preço dos bilhetes varia entre os 12 e os 18 euros.

Área de Lisboa

Na capital e arredores, a festa é em grande. O Teatro Nacional D.Maria II considera que o Dia Mundial do Teatro é de celebração e partilha. Por isso, volta a abrir as suas portas para um programa especial, de entrada gratuita.

Desde espetáculos para toda a família (como a peça Montanha-Russa, de Inês Barahona e Miguel Fragata ou Sweet home Europa, de João Pedro Mamede), exibição de um documentário, lançamento de livros até à possibilidade de visitar a exposição Amélia, que assinala os 120 anos do nascimento de Amélia Rey Colaço, são muitas as propostas e atividades disponíveis.

Para isso, deves fazer o levantamento de bilhetes, na bilheteira do teatro, a partir das 14h, sendo que existe um limite de dois bilhetes por pessoa, sujeito à lotação disponível. Para este dia, não se aceitam reservas de lugares.

Foto: Teatro Nacional D. Maria II

Buzico! Produções Artísticas preparou um programa especial para a próxima terça-feira. Na Livraria Menina e Moça (Cais do Sodré), às 19h00, e no FINALMENTE CLUB (Príncipe Real), às 23h45, terão lugar duas leituras encenadas em jeito de apresentação de Naked Soldier. Este espetáculo de Belmen O., com tradução e interpretação de Nils Wilkinson e encenação de Miguel Granja, estreia depois no dia 29 na Sala Village, no Underground Village Lisboa, onde fará uma temporada de um mês.

Ainda pela mão da Buzico, a peça A Mãe da Noiva – ou o Pranto de Maria Parva, um espetáculo da autoria e interpretação de Ana Saragoça, com encenação de João Ascenso, terá uma sessão especial (pelo de valor de 7,50 euros), às 21h30, no Restaurante-Bar Vynil, em Lisboa. Permanece em cartaz, desde dia 8 de março, até 12 de abril, no mesmo local e horário (de terça a quinta).

Também o Teatro Aberto vai celebrar este dia com uma iniciativa que decorrerá na Sala Azul, a partir das 21h. O evento terá três momentos, onde se inclui o debate O Teatro e o Futuro, com Cristina Carvalhal (atriz e encenadora), Marta Dias (encenadora), Rui Francisco (cenógrafo) e moderação do jornalista Tiago Palma. A entrada é livre.

Foto: divulgação

A companhia de Jorge Silva Melo é outra que opta por antecipar as celebrações. Na segunda-feira, às 18h30, na Biblioteca da Imprensa Nacional-Casa da Moeda, apresenta-se o livro Jorge Gonçalves, 20 Anos de Trabalhos – Fotografia, Artistas Unidos. Nele, o fotógrafo de serviço dos Artistas Unidos reúne todo o trabalho desenvolvido nos espetáculos da companhia. A entrada é livre.

O Teatro da Trindade também não podia ficar de fora das celebrações e, por isso, possibilita entradas gratuitas no dia 27. Às 15h vais poder ver O Principezinho, uma encenação de Pedro Penim do clássico de Saint-Exupéry. Uma hora depois, há ensaio aberto de Odisseia, na tradução de Frederico Lourenço e direção artística de Teresa Sobral, que estará em cena de 31 de março a 28 de abril.

Às 18h, é tempo de conhecer o vencedor do Concurso INATEL Teatro – Novos Valores e, para acabar o dia, às 21h30, O Deus da Carnificina de Yasmina Reza, com encenação de Diogo Infante, sobe ao palco. A entrada é livre mediante o levantamento de bilhetes, no próprio dia, a partir das 11h, na bilheteira do teatro. Existe um limite de dois bilhetes por pessoa, sujeitos à lotação das salas, e também não são aceites reservas.

No circo, a música, o texto humorístico, o gesto, a linguagem do corpo, são expressões teatrais dirigidas ao imaginário e ao maravilhoso. E, por isso, à semelhança do teatro, o circo é uma forma de arte de caráter libertador e renovador.

Pensando nisto, e mantendo viva uma tradição, o Chapitô comemora também a efeméride na noite de 27 de março, a partir das 22h00. A leitura da Mensagem do Dia Mundial do Teatro 2018, este ano da autoria de Simon McBurney (ator e escritor), via ser lida pelos atores Miguel Thiré e Helena Laureano. O Teatro vem ao Circo no Chapitô, numa comemoração onde não faltará música, performances circenses e muita animação.

Foto: divulgação

A antecipar mais um dia dedicado ao teatro, a Junta de Freguesia de Carnide programou para este sábado uma homenagem ao ator João Ricardo, recentemente falecido. Às 17h, no Largo das Pimenteiras, dá-se a inauguração de uma escultura do artista plástico Luís Sousa. Uma hora depois é a vez da exposição João Ricardo – Homenagem, na Galeria Bento Martins, sobre o percurso do antigo diretor do Teatro de Carnide (patente até 4 de abril).

Às 19h e às 21h estão agendadas duas récitas de O Dragão Cor de Framboesa, reposição de um espetáculo infanto-juvenil que João Ricardo protagonizou e encenou em 1994. A peça, que agora retoma o elenco original – Conceição Loureiro, Gonçalo Ferreira, Paula Granja, Pedro Górgia e Rita Martins -, vai ter ainda representações no dia 6 de abril, às 21h30, e dias 7 e 8 de abril, às 16h.

Foto: divulgação

Erêndira, Sim Avó, a partir de texto original de Gabriel García Márquez, com encenação de Rita Lello, sobe ao palco do Teatro A Barraca, às 21h30. Segue-se depois um concerto ibero-americano de Los Pájaros Perdidos de Mariana Abrunheiro e Walter Hidalgo. Espaço ainda para um momento de tango com orientação do professor argentino Alejandro Laguna. Tudo com entrada livre, sujeita à lotação da sala.

Em Almada, o Teatro Municipal Joaquim Benite (TMJB) vai ser o palco de vários eventos, a diversas horas, no Dia Mundial do Teatro. Juni Dahr apresenta o quarto volume da colecção O sentido dos Mestres. O livro é dedicado ao workshop que a actriz e encenadora norueguesa dirigiu na última edição do Festival de Almada.

Mais tarde, às 21h, é inaugurada a segunda parte da exposição CTA: 40 anos em Almada. À mesma hora, o Teatro do Eléctrico apresenta A noite da Dona Luciana, de Copi, com encenação de Ricardo Neves-Neves, na Sala Experimental.

Um pouco mais tarde, às 22h, João Lagarto apresenta Lições de dança para pessoas duma certa idade, de Bohumil Hrabal, com adaptação, encenação e interpretação do ator.

A entrada é livre, porém o levantamento dos bilhetes para os espetáculos (máximo de dois por espetador) deverá efetuar-se na bilheteira do TMJB a partir das 14h30 do próprio dia.

Foto: divulgação

A Companhia Mascarenhas-Martins e a Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro, no Montijo, apresentam, no dia 27, uma leitura encenada das mensagens de comemoração da efeméride, com encenação de André Reis. As cinco mensagens são de autores dos diferentes continentes, cinco vozes que, cada qual a partir da sua perspetiva, pensam o teatro na sua relação com o mundo contemporâneo. Esta leitura terá lugar na Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro, às 21h30 e a entrada é livre.

Lê também: DIA MUNDIAL DO TEATRO: 7 PEÇAS DE TEATRO QUE VAIS QUERER (RE)LER

Centro

O Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), em Coimbra, vai celebrar o Dia Mundial do Teatro, na próxima terça-feira, com a apresentação de uma mini maratona de espetáculos, a decorrer entre as 18h e a meia-noite. A iniciativa conta com sete espetáculos de jovens artistas, que percorrem os diferentes espaços e palcos do TAGV. As apresentações foram criadas no âmbito do Programa Avançado de Criação em Artes Performativas (PACAP) do Forum Dança, com a curadoria de Patrícia Portela.

No mesmo dia, às 21h30, no Auditório do Teatro das Beiras, na Covilhã, o CENDREV (Centro Dramático de Évora) apresenta a peça Sozinho, de Börje Linström.

Ainda na Covilhã, o ator Ruy de Carvalho é a personagem principal das comemorações desta celebração, que decorrem até 29 de março. O conhecido ator pisou pela primeira vez o palco do Cine-Teatro da Covilhã quando tinha 8 anos e, por isso, são muitas as recordações. Memórias descritas no livro O Amor é Isto, de sua autoria, apresentado no passado dia 18, dia em que se iniciaram as iniciativas. No mesmo dia, seguiu-se o descerramento de uma placa de homenagem na casa onde viveu Ruy de Carvalho e a inauguração da exposição de fotografia de António Homem Cardoso, patente no Teatro Municipal da Covilhã, até quinta-feira (29).

Em Leiria, no Teatro José Lúcio da Silva, às 21h30, Virgílio Castelo apresenta O Último Dia de um Condenado. Uma adaptação a partir da obra homónima de Victor Hugo, com encenação de Paulo Sousa Costa e produção da Yellow Star Company.

Alentejo

E quem diz que o Alentejo não deixa a sua marca no Dia Mundial do Teatro, está errado. O destaque vai para a reposição da peça Ñaque, ou Sobre Piolhos e Actores, de José Sanchis Sinisterraque, pelo CENDREV, que terá entrada gratuita. O espetáculo, com interpretação e encenação de José Russo e Jorge Baião, vai acontecer no dia 27, às 21h30, no Teatro Garcia de Resende, em Évora.

Ainda no âmbito das comemorações do teatro, Elvas tem sido palco do 1.º ACTO, uma iniciativa que nasceu da sincronia entre atividades já realizadas pela UMCOLETIVO & Arkus – Associação Juvenil, com o apoio da Câmara Municipal de Elvas.

A festa do teatro em Elvas engloba ainda o FITA – Festival Internacional de Teatro do AlentejoImprovis’ARTE- XXI Festival Internacional de Teatro de Elvas e o Ciclo de Jovens Criadores que, juntamente com programação de espetáculos amadores e profissionais, oficinas e exposições, visam promover a celebração coletiva do teatro no concelho.

A programação arrancou no início de março e tem contando com espetáculos de quinta a domingo para todos os públicos, no Cine-Teatro Municipal. As celebrações terminam na próxima terça-feira (27) com uma visita teatralizada ao Cine-Teatro. Os bilhetes para os espetáculos variam entre os 2 euros e os 4 euros.

Foto: divulgação

Por fim, e à semelhança de anos anteriores, também Portalegre assinala a efeméride. Desde o início do mês, e até dia 28, muitas têm sido as iniciativas alusivas ao teatro, promovidas pela CM de Portalegre, em parceria com entidades e instituições locais. As comemorações também albergaram o FITA-Festival Internacional de Teatro do Alentejo.

Porém, a data é celebrada no dia 27 e, por isso, é neste dia que o Centro de Artes do Espetáculo acolhe o Teatro Foto Radiofónico com a novela de José Régio Davam Grandes Passeios ao Domingo. Os atores são os funcionários da câmara.

Foto: divulgação

Algarve

Rumo ao sul do país e também no dia 27 de março, o dia comemora-se com Um Espectáculo – Bela e Abel, no Teatro Lethes, em Faro. Escrita por Robert Pinget na década de 60 do século XX, encenada por Elisabete Martins e com interpretação de Bruno Martins e Glória Fernandes, a peça d’A Companhia de Teatro do Algarve (ACTA) procura encontrar o essencial do teatro, mas também da própria vida. Começa às 21h30 e tem entrada livre (com número limitado de lugares).

Foto: divulgação

A pensar nos mais pequenos, e ainda no Teatro Lethes, está em cena Dá-me Um Abraçouma produção do VATe – Serviço Educativo da ACTA. O espetáculo, criado a partir de um texto de Ana Paula Guerreiro, com encenação de Jeannine Trévidic e interpretação de Sara Mendes Vicente, pode ser visto este sábado (16h) e no dia 29 (10h30). Os bilhetes custam 2 euros.

Quinzena do Teatro, na direção regional do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), em Faro, começou dia 16. Promover gosto pelo teatro, partilhar o processo de criação e ainda proporcionar a interação entre os atores e o público, sensibilizando para a prática teatral são os principais objetivos da iniciativa.

Esta quinzena dedicada ao teatro termina bem a tempo de comemorar o Dia Mundial do Teatro. No dia 27,  às 10h30, decorre um workshop de Expressão Dramática, um momento lúdico dirigido aos mais pequenos onde se realizam jogos e atividades que promovem a interação entre os participantes.

Às 21h30, e para encerrar a iniciativa, sobem ao palco os alunos do 1.ºB – Artes do Espetáculo, da Escola Secundária Tomás Cabreira, com a peça de teatro Vamos ser tão despedidos. O trabalho foi desenvolvido nas disciplinas de Voz, Interpretação e Dramaturgia, com encenação da professora Rosa Vieira Guedes, a partir de textos originais dos alunos. O espetáculo será antecedido da leitura da mensagem do Dia Mundial do Teatro 2018.

No mesmo âmbito, englobado no ciclo Estórias silenciosas (III), os atores do Teatro O Bando e do Collectif Le Nomade Village (Marselha, França), apresentam Isto não é a Europa. «Atores, músicos e bailarinos querem pensar sobre os caminhos da Europa, os seus avanços e recuos, as acelerações e as grandes derrapagens, os acidentes e estragos, as pequenas quedas e vitórias neste sinuoso percurso contemporâneo», explica a produção. O espetáculo pode ser visto no Cine-Teatro Louletano, em Loulé, às 21h30. O preço dos bilhetes varia entre os 8 e os 10 euros.

Foto: divulgação

Já no dia 29, às 21h30, no Centro Cultural António Aleixo, em Vila Real de Santo António, há revista à portuguesa. Que Grande Caldeirada! recupera os grandes êxitos do teatro de revista e junta-os com novos números. O elenco conta vários jovens comandados por Florbela Queiroz. Os bilhetes custam entre 10 e 12,50 euros.

Açores e Madeira

Nos Açores também não faltam festejos. A Biblioteca Pública e o Arquivo Regional de Ponta Delgada apresentam, no dia 27, a exposição Artes Cénicas: um olhar sobre o teatro em São Miguel, em parceria com o Teatro Micaelense e com o Centro Comercial Sol Mar. A mostra, que estará patente até 27 de maio no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, poderá ainda ser visitada durante todo o mês de junho no Centro Comercial Solmar. A entrada é livre.

Foto: divulgação

Já a Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça, na Horta, promove, no mesmo dia, pelas 18h30, a realização de leituras encenadas de textos teatrais, bem como a apresentação de uma mostra bibliográfica intitulada Teatro do Mundo.

O Alpendre – Grupo de Teatro, em parceria com a CM de Angra do Heroísmo, Direção Regional da Cultura e o Museu de Angra do Heroísmo, apresentou, no passado dia 21 (dia mundial da poesia), o “7” (sete dias, sete palcos, sete espetáculos). O evento decorre até dia 27 e tem dinamizado espetáculos de teatro, de poesia, exposições, conferências, entre outros, por vários espaços na cidade.

No último dia, para assinalar o Dia Mundial do Teatro, há Poesia na Rua, às 14h, e a peça Gisberta, às 21h30, no palco do Teatro Angrense. Os bilhetes têm um custo de 10 euros.

Na Madeira, mais propriamente na Vila da Camacha, localizada a 10 km do Funchal e conhecida como a Capital da Cultura Tradicional da Madeira, arrancou esta sexta-feira o Festival AMO-TEatro 2018, IX Amostra de Teatro da Madeira.

O evento, promovido pelo grupo de Teatro Experimental da Casa do Povo da Camacha (TEC), em parceria com a Casa do Povo da referida localidade, celebra esta semana do Dia Mundial do Teatro (até dia 1 de abril). Este vai contar com a presença de seis grupos de teatro do continente, um artista de stand-up, uma companhia da ilha terceira, quatro grupos regionais e uma produção moçambicana.

Para além das representações de palco, como já vem sendo hábito, está também patente uma exposição de um artista camacheiro. O fotógrafo Antero Gonçalves expõe o seu trabalho na mostra Retratos da Gente, no âmbito do 30.º aniversário do Teatro Experimental da Camacha. 

Os bilhetes para os espetáculos Nos tempos de Gungunhana e O Senhor Ibrahim e as flores do Corão já se encontram disponíveis para venda ao público na bilheteira do Teatro Municipal Baltazar Dias. Mas há muitas outras atividades e espetáculos. As informações estão disponíveis aqui.

Foto: divulgação

 

Escrito por Helena Moreira e Joana Lima

LÊ TAMBÉM: UM DIA UMA VIDA: À BEIRA-MAR COM A POESIA DE RUY BELO