À semelhança do que foi feito para o primeiro dia do Lisboa Dance Festival, o Espalha-Factos traz agora uma pequena antevisão de alguns dos artistas que vão atuar no segundo e último dia do festival.

Nosaj Thing

Nosaj Thing é o cabeça de cartaz do dia 10 do Lisboa Dance Festival. É conhecido por produzir músicas de artistas como Kid Cudi, Kendrick Lamar e Chance The Rapper. Jason Chung, de nome original, é um produtor nascido e com base em Los Angeles. O seu último álbum, Parallels, saiu em 2017 e o artista apresenta-o agora na tour do mesmo nome.

O som de Nosaj Thing é marcado por influências variadas, desde Boards of Canada e DJ Shadow até Erik Satie. Tem remixes de bandas como The XX, Radiohead, BadBadNotGood e até de Flying Lotus, banda que conheceu em 2004 no mesmo local onde deu o seu primeiro concerto. Tudo isto culmina numa sonoridade etérea de hip-hop instrumental, mas baseada no sintetizador e na eletrónica. | 23h45, Kia Room @Fábrica do Pão

Mirror People

O projeto musical português liderado por Rui Maia, toca dia 10 no Lisboa Dance Festival. Com as autointituladas influências de Brian Eno, The Jesus & Mary Chain, Cut Copy e mesmo New Order, criam uma sonoridade new wave de pop eletrónico. Para saber, nada melhor que ouvi-los. | 22h30, Kia Room @Fábrica do Pão

Paraguaii

A banda natural de Guimarães passa pelo Lisboa Dance Festival antes de começar a digressão europeia. Em abril e maio, vão a França e Espanha promover o álbum de 2017, Dream About The Things You Never DoAntes da digressão lançaram uma curta-metragem que dá imagem ao single She Kills Everyone.

É sem dúvida uma atuação a não perder, duma banda portuguesa que toca cedo, mas sempre bem. Autodescrevem-se como um pop psico-tropical com um gosto a qualquer coisa que parece rough blues. | 20h00, Carlsberg Room @Fábrica das Massas

A acompanhar o último dia de festival está também Himan, que fecha a edição de 2018. A destacar estão ainda Joe Goddard e António Bastos.