Quando Russ anunciou, pelo Twitter, que a tour europeia ia passar por Portugal, a corrida aos bilhetes foi tal que esgotou o Coliseu dos Recreios. Ainda a tempo, o rapper mudou-se de malas e bagagens para a Altice Arena, onde 13 mil pessoas e mais uma fizeram magia.

O artista anunciou pelo menos três vezes durante a atuação: “Melhor noite da minha vida“. Foi o maior concerto da carreira do fenómeno americano do mundo do hip-hop.

Cantou quase todo o álbum e mais alguns singles em uma hora e meia de concerto. Passou pelos temas mais populares, como What They Want, Losin’ Control ou Ride Slow. Esta última canção, partilhou-a com o público, num coro a cappella que coroou o momento mais pessoal da noite e assinalou a ligação especial com o público português.

Foi um concerto pouco visual, compensado pelas luzes e pela relação do artista com o público, sempre muito enérgico e num diálogo constante com os milhares de jovens que o receberam. Russ prometeu, mais do que uma vez, que ia voltar. Estava emocionado e quis partilhar o momento com amigos e com “a pessoa mais especial” – levou a mãe ao palco e o público delirou. A emoção tomou conta da Arena durante esse momento de partilha.

O fenómeno das redes sociais conta com mais de 600 milhões de visualizações no Youtube e com mais de 1,1 mil milhões de streams no Spotify. Os números são grandes para um artista que fez algumas mixtapes e que lançou o seu primeiro álbum, There’s Really a Wolf, apenas em 2017. Em Portugal, o fenómeno foi confirmado.

Numa relação simbiótica entre artista e público, tudo o que o rapper deu, foi retribuído. O público iluminou a sala. Os olhos de Russ brilhavam de emoção.