Vinte concertos para vinte anos foi a premissa da fnac para a celebração do seu vigésimo aniversário, na passada semana. B Fachada foi um dos nomes escolhidos para os concertos surpresa, espalhados por vários sítios do país. O Espalha-Factos esteve presente na Estação Ferroviária de Cascais a ouvi-lo e, como habitual, o músico não desiludiu.

Adormecer sem pensar no dia seguinte, acordar em ânsia com a notícia de um concerto surpresa. Foi assim o último dia do mês de fevereiro, em que “o inverno se fez verão“, para um fã de B Fachada. Ajustar a vida em função de um evento, para que tudo esteja certo às cinco horas na estação ferroviária de Cascais, porque B Fachada ao vivo não é todos os dias.

B Fachada em Cascais

Alinhado o amplificador, o pedal delay e a guitarra Mustang que o costuma acompanhar, B Fachada e os seus astros abrem o concerto com a recém reconciliada consigo mesma Contramão e com o Kit de Prestidigitação. Interpretadas, como é habitual, à sua maneira, mas tendo como segunda voz a senhora da CP a informar que o comboio para o Cais do Sodré ia parar em todas as estações e apeadeiros. Numa alternância de álbuns, tanto foram tocadas a Casa do Manel, de B Fachada é Pra Meninos, Mané, do seu segundo álbum homónimo e Há Festa na Moradia, do álbum com o mesmo nome. Houve ainda tempo para a Mano, de O Fim e até mesmo para a Canção dos Abraços do Sérgio Godinho, com entoação de canção de embalar para os seus filhos acabados de chegar, comprovando que B Fachada (também) é Pra Meninos.

B Fachada na Estação Ferroviária de Cascais

B Fachada na Estação Ferroviária de Cascais

Respeitando todas as diferentes opiniões e em jeito de conclusão, B Fachada tem mais magia em lugares improváveis de receber concertos, mas com melhor acústica, e com atuações pouco frequentes. Isto porque do outro lado dos espectadores está um artista profissional em tirar estabilidade e sanidade mental aos seus ouvintes, deixando-os num profundo vazio momentâneo por todo o resto de dia, após o concerto ser um total contraste de harmonia e delicadeza. Chapadas na alma como estas são saudáveis, mas dadas regularmente destroem. B Fachada prova-nos então que tesouros como estes são tão bons por serem, também, raros.