Nasceu, mesmo em frente ao Bairro do Avillez, a Pitaria. O objetivo é cruzar os sabores do Médio Oriente com a energia inesgotável de Lisboa. O Espalha-Factos foi experimentar o novo sucesso do Grupo Avillez e narra-te, agora, a experiência.

Na Pitaria, a especialidade é, como o próprio nome indica, a pita. Aqui, as pitas surgem em sete versões, todas preparadas com ingredientes frescos e de qualidade. Além destas especialidades orientais, também os cocktails têm agradado aos clientes. O Pitajito e o Pitaroska têm sido unanimemente os preferidos.

Pitajito

É precisamente pelos cocktails que começa a nossa refeição na Pitaria. O Pitajito é feito com rum, alecrim, morangos e hortelã, já a Pitaroska nasce do casamento entre a vodka, a beterraba e a lúcia-lima. Ambas as combinações se revelam agradáveis e convidam a dois dedos de conversa, enquanto as pitas não chegam.

Pitaroska

“Abrimos em soft opening. Depois o Chef recebeu a menção (Grand Prix de l’Art de la Cuisine) e falou disto, e aí, de facto, foi o boom”, conta Mariana Marques, responsável pela comunicação do Grupo Avillez.

Os sabores orientais são, assim, uma novidade para o Grupo Avillez.  “Já tinha havido várias viagens do próprio Chef José Avillez ao Médio Oriente, também de parte da equipa. Portanto, aquilo que se vive no Médio Oriente à volta da mesa, quisemos transpor para aqui”, revela Mariana Marques.

“Sempre que quiseres, (a)pita”

As estrelas da nossa refeição são a Arais, a pita chapada (carne picada, especiarias, queijo, chouriço de porco preto, alface pickles de nabo, cebola roxa e coentros) e a Sujuk (salsicha arménia, alface, tomate, cebola roxa, pickles de couve e molho de iogurte e alho). Para acompanhar as pitas, chegam-nos à mesa as Batatas fritas com Za’atar (uma especiaria do Médio Oriente) e as Batatas doces, nas quais se destaca o sabor da raspa da laranja.

Arais, pita chapada

A primeira dentada nas pitas é uma festa para o paladar. A maionese que acompanha a pita chapada, que descobrimos ter origem na Jordânia, contrasta na perfeição com os sabores quentes. A salsicha arménia da pita Sujuk é uma novidade deliciosa, a verdadeira protagonista.

Pita Sujuk

A nossa experiência na Pitaria termina com a baklava, com natas frescas e flor de laranjeira, um doce que acreditamos agradar a gregos e troianos. A outra opção de sobremesa é o Gelado de Rosas e Pistácio, que tem conquistando os estômagos dos lisboetas e turistas, segundo Mariana Marques.

O espaço da Pitaria só leva 18 pessoas, mas não te preocupes há a opção de take away. A fachada diz “Sempre que quiseres, (a) pita”, e nós prometemos apitar mais vezes.