Júdice
Foto: Secretaría de Cultura CDMX | VisualHunt

Nuno Júdice vence prémio Rosalía de Castro do PEN Galiza

O poeta português Nuno Júdice ganhou o prémio Rosalía de Castro do PEN Clube Galego, que, de dois em dois anos, distingue escritores relevantes das línguas castelhana, catalã, basca e portuguesa.

Na 12.ª edição deste galardão, que começou a ser instituído em 1996, os prémios foram atribuídos também aos ecsritores Carmen Boullosa, do México, Sergi Belbel, catalão, e Harkaitz Cano, basco.

O júri deste prémio é constituido por Luís González Tosar, Ánxela Gracián e Manuel Guede, entre outros. Na sua opinião, o escritor português tem um ótimo trabalho em vários géneros: romances, poesia e até ensaios.

Estes quatro novos vencedores juntam-se agora aos 44 distinguidos nas edições anteriores do prémio, convertendo-se nos melhores embaixadores da literatura galega, de acordo com o júri.

Nuno Júdice

É poeta, ensaísta e académico. Nasceu a 29 de Abril de 1949, no Algarve.

Licenciado em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, doutorou-se em Literatura Românica Comparada, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, onde foi já professor.

Exerce uma atividade regular de crítica e ensaística literária, quer no âmbito das atividades universitárias, quer em jornais, como o Expresso e o JL – Jornal de Letras, Artes e Ideias.

Dedicou-se a estudos anterianos e sobre o Modernismo português e participou em edições fac-similadas das revistas Portugal Futurista, Centauro e Sudoeste, editadas pela Contexto Editora.

Foi o responsável pela Língua e Cultura Portuguesa, na organização do Pavilhão Português, na Exposição de Sevilha, em 1992. Em 1997 ficou responsável pela área de Literatura, na Sociedade Portugal-Frankfurt. Exerceu, desde 1997, funções de Conselheiro Cultural em Paris.

Além disso, desenvolve trabalho como e crítico e foi já diretor do Instituto Camões, em Paris.

Atualmente, Júdice é, desde 2009, diretor da Revista Colóquio Letras, uma revista literária com textos de poesia, de ficção e maioritariemente ensaios. A revista nasceu em 1971, pelas mãos de Hernâni Cidade e Jacinto do Prado Coelho.

O seu primeiro livro de poesia foi A Noção do Poema, publicado em 1972. Publicou ainda obras como Enumeração de Sombras (1989), Um Canto na Espessura do Tempo (1992) e Meditação Sobre Ruínas (1994). Escreveu os romances, como Plâncton (1981) e A Manta Religiosa (1982). É autor de diversos ensaios, entre os quais se destaca uma tese de doutoramento sobre literatura medieval.

LÊ TAMBÉM: SUPERNANNY REGRESSA COM LIVRO PARA OS PAIS

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
invicible
‘Invincible’. Série renovada para mais duas temporadas na Amazon Prime