2012-2017 é o nome do mais recente álbum de Nicolas Jaar, lançado no passado dia 17 sob o pseudónimo A.A.L. (All Against Logic), um dos seus nomes artísticos menos utilizados.

2012-2017 e Other People

O álbum foi lançado pela editora que pertence a Nicolas Jaar, Other People, e através da qual Jaar lança projetos eletrónicos e experimentais feitos pelo próprio e outros artistas, como William Basinski, Lucrecia Dalt ou Lydia Lunch.

Numa entrevista à Crack Magazine, Nicolas descreveu A.A.L. como a vertente do trabalho que visa a continuação do foco na música de dança, ainda que o seu projeto principal se possa afastar um pouco dela. Referia ainda que achava curioso quando as pessoas falavam do “primeiro single de Nicolas Jaar em anos”, quando na verdade lança novas músicas frequentemente, apenas sob vários nomes diferentes.

Capa do álbum 2012-2017, A.A.L. (All Against Logic)

2012-2017, A.A.L. (All Against Logic) (2018)

2012-2017 parece enquadrar-se no objetivo de Jaar quanto à música eletrónica de dança e já se encontra disponível no Spotify. Numa das músicas, Such a Bad Way, podemos ouvir uma sample de Kanye West, I Am a God.

O último lançamento sob o nome de Nicolas Jaar foi em 2017, a edição deluxe do álbum Sirens, lançado no ano anterior.

O músico tem também o projeto eletrónico Darkside, juntamente com Dave Harrington, também através da Other People. Darkside é a união do minimalismo de Nicolas em relação ao house  e à música de dança, com as camadas sonoras ricas em instrumentalização que a presença de Harrington dá.

A última passagem por Portugal

Nicolas Jaar, Lisb-on 2015

Nicolas Jaar tem marcado presença muitas vezes em solo português. A mais recente foi no NOS Primavera Sound do ano passado, no mesmo dia que nomes como Bon Iver, Angel Olsen ou King Gizzard and The Lizard Wizard.

O Espalha-Factos esteve presente quando o músico foi cabeça de cartaz do Lisb-On 2015, festival lisboeta de música eletrónica, que tem o Parque Eduardo VII como palco. No ano anterior tinha estado na edição de 2014 do então chamado Optimus Alive. Contudo, ainda não há indícios da presença do músico em palcos portugueses em 2018.