O cantor Salvador Sobral, vencedor do Festival Eurovisão da Canção, interpretou uma versão de Anda Estragar-me os Planos, tema finalista do Festival da Canção, com o acompanhamento do pianista Júlio Resende, também a concurso.

Francisca Cortesão foi uma das compositoras convidadas pela RTP para fazer parte da edição de 2018 do Festival da Canção, o primeiro desde a vitória portuguesa em Kiev. Para defender este tema, escolheu Joana Barra Vaz, também ela compositora, além de realizadora e argumentista.

A música, no passado dia 18 de fevereiro, aquando da primeira semifinal do concurso, alcançou um lugar na grande final com oito pontos (7 atribuídos pelo júri presidido por Júlio Isidro e 1 com origem do televoto).

Salvador Sobral decidiu estragar os planos de ensaio de Júlio Resende, que é também um dos concorrentes do Festival da Canção e, como forma de redenção, “fez esta versão da bonita canção da Francisca Cortesão e do Afonso Cabral, interpretada de forma sublime pela Joana Barra Vaz”.

O vídeo, publicado na página de Facebook do intérprete de Amar Pelos Dois, conta com mais de 60 mil visualizações e centenas de partilhas e comentários. Ouve a versão de seguida:

Júlio Resende está a concurso como compositor da canção Para Sorrir Eu Não Preciso de Nada, cantada por Catarina Miranda. Já Salvador Sobral foi convidado pela estação pública a fazer mais uma vez parte do Festival, a título próprio ou delegando a tarefa noutro compositor. A segunda opção foi a escolhida e Janeiro tem alcançado notoriedade nacional com (sem título), estando neste momento em quarto lugar nas tendências do YouTube. Ambos os temas estão na final que se realiza dia 4 de março.

A segunda semifinal do Festival da Canção 2018 tem lugar este domingo (25) no Estúdio 1 da RTP. A eliminatória terá a concurso mais 13 composições, criadas por nomes como Diogo Piçarra, Capicua. Miguel Angelo, Tito Paris e Isaura, entre outros.