Foto dos BadBadNotGood
Fotografia: Divulgação

BadBadNotGood confirmados no EDP Cool Jazz

O EDP Cool Jazz acrescenta ao seu cartaz os canadianos BadBadNotGood. O quarteto de jazz marca presença no festival de Cascais a 17 de julho, reservando o Parque Marechal Carmona.

Vai ser a segunda vez que a banda atua em Portugal, após a participação no Vodafone Paredes de Coura, em 2017. Sobre o concerto no festival minhoto, a redatora do Espalha-Factos Alexandra Correia da Silva elogiou: “amor eterno entre mais de 20 mil almas e uma banda cuja entrega se traduziu (…), na distribuição de abraços pelas filas da frente no final“.

Deverão apresentar o seu último disco IV, votado como Melhor Álbum Internacional de 2016 pela Antena 3. O álbum conta com as vozes de Charlotte Day Wilson, o rapper Mick Jenkins ou Sam Herring, dos Future Islands.

O festival de Cascais ocorre em julho. Até à data, reúne, no alinhamento, David Byrne, Gregory Porter, Jessie Ware e Van Morrison.

O jazz experimental que vem do Canadá

Os BadBadNotGood, vindos de Ontário, compõem-se pelo baterista Alexander Sowinski, o baixista Chester Hansen, o saxofonista Leland Whitty e o teclista Matthew Tavares. Tipificam-se pela junção fervilhante do virtuosismo jazzístico com a eletrónica e uma sensibilidade hip-hop. Tal transparece nas colaborações com Kendrick Lamar, o conterrâneo Kaytranada ou Tyler, the Creator, que inicialmente divulgou o grupo.

O quarteto soma já cinco discos, sendo os últimos três integralmente de originais. Nos dois primeiros registos, de 2011 e 2012, interpretavam material de Kanye West, My Bloody Valentine e outros. O quarto álbum, Sour Soul, de 2013, constituía uma colaboração extensa com Ghostface Killah.

Lançaram, em setembro, Confessions Part 3, faixa com Colin Stetson. No mês seguinte, sucedeu-se a edição de nova colaboração com Herring, intitulada I Don’t Know.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
caught in the net, klusak, chalupova, documentário, checo
‘Caught in the Net’: Este documentário está a gerar investigações criminais