“Há um fado que é cantado, há um outro que é sentido”. É em português que inicia o quinto episódio da série que virou um sucesso da Netflix: La Casa de Papel. A série que tem como palco a Casa da Moeda espanhola conta a história de como oito habilidosos ladrões planeiam levar com eles 2,4 mil milhões de euros.

Recheada com cenas de ação, suspense e um plano cautelosamente pensado, a série tem vindo a dar que falar não só pelo seu enredo, mas também pela banda sonora. Tudo porque é com a língua de Camões que abre um dos capítulos da trama.

Fado Boémio e Vadio, cantado por Piedade Fernandes, foi uma das canções escolhidas para pintar o cenário de mudança que se dá nesse mesmo episódio.

Envoltas num clima de extrema tensão e desespero, as personagens são acompanhadas pelo fado português no momento em que há “um contraponto na situação que se estava a viver até ao momento”, segundo conta Alejandro Bazzano, um dos diretores da La Casa de Papel. O fado “tranquilo e plácido” contrasta com a situação de gritos que as personagens vivem.

Lê também: 5 bandas sonoras que eram melhores que os filmes

A seleção musical da série mostra-se ainda mais peculiar pela escolha de Bella Ciao, que se torna no hino dos ladrões. Esta canção foi criada em Itália como um canto de trabalho nas plantações de arroz e, mais tarde, tornou-se num hino de protesto contra a Grande Guerra, na primeira década do séc. XX. Finalmente, na Segunda Guerra Mundial, transformou-se num símbolo de resistência italiana contra o fascismo.

A série, exibida em Espanha entre maio e novembro de 2017, foi comprada e difundida, pela Netflix, no final do mesmo ano. Mesmo sem ter muita divulgação, acabou por se tornar num sucesso de streaming improvável no início de 2018.

A primeira parte da temporada (13 episódios) de La Casa de Papel já está completa no serviço de streaming. O regresso está marcado para 6 de abril, numa segunda parte que vai contar com seis episódios.