Robyn vai editar, em 2018, um novo álbum de estúdio. A confirmação seguiu no dia 7, pelo seu perfil de Twitter, numa interação com um fã.

Um usuário da rede social questionou a artista sobre quem define a data de lançamento do seu próximo disco. Em resposta, Robyn afirmou-se responsável pela decisão, agendando o álbum para este ano. O projeto, ainda por detalhar, deverá ser lançado na Konichiwa Records, selo fundado pela artista, em 2005.

Em março de 2017, um excerto de Honey, inédito da cantora, apareceu na última temporada de Girls. A contribuição veio a pedido de Lena Dunham, criadora e atriz principal da série da HBO. Pelo Instagram, Robyn adiantou que a canção, por finalizar, fora selecionada de material ainda em desenvolvimento. Num post separado, Dunham revelou-a como parte do disco vindouro da artista.

A materializar-se, o longa-duração será o primeiro da sueca em oito anos, depois de Body Talk, de 2010. Este resultou da compilação dos seus mini-álbuns lançados ao longo desse ano. Producente de singles como Dancing on My Own ou Call Your Girlfriend, figurou em 36.º lugar na lista de Melhores Álbuns da Década (2010-2014) da Pitchfork. No artigo, o jornalista Jeremy Gordon proclamava a artista como “uma pop star subvalorizada”.

Uma nova fase colaborativa

A artista, que iniciou a sua carreira em 1994tem, nos últimos anos, realizado várias colaborações musicais. Uniu-se, em 2014, aos noruegueses Röyksopp, para a conceção do extended play (EP) Do It Again. No ano seguinte, sob o selo da Konichiwa, gravou o mini-álbum Love Is Free, com os La Bagatelle MagiqueA sua parceria mais recente ocorreu em 2016, com o produtor house DJ Tophat, no EP Trust Me.

Ancorou-se, em plano secundário, a nomes como Neneh CherryRye Rye ou Metronomy. No último caso, participou na canção Take Me Out to Dry, que consta no LP de 2016, Summer ’08. Há dois anos, lançou um projeto denominado RMX / RBN, que incidiu em remisturas, por terceiros, da sua discografia.