Foi este domingo para o ar a primeira semifinal do Festival da Canção 2018, emitida a partir do Estúdio 1 da RTP, em Lisboa. Peu Madureira é um dos finalistas com Só Por Ela e já é apontado como favorito pelos dois membros mais importantes do júri, o presidente Júlio Isidro e o vice-presidente Tozé Brito.

Apurados os primeiros sete temas que irão estar na final do Festival da Canção, iniciou-se um direto transmitido para o especial em vídeo da Antena 1 na RTP Play, conduzido por António Macedo, que contou com comentários acerca da primeira eliminatória.

Em estúdio, Adelaide FerreiraEduardo Nascimento e Carlos Mendes comentaram os resultados da semifinal, com Joana Dias e Noémia Gonçalves em entrevista aos artistas e compositores apurados.

Nesta noite iria também ser realizado o sorteio da ordem de atuação destes finalistas na Grande Final, que acontece no próximo dia 4 de março, no Pavilhão Mutiusos de Guimarães. Porém, o sorteio, que iria ser conduzido por Joana Martins, foi adiado para os momentos que se seguirão à segunda semifinal, a 25 de fevereiro, após decisão da RTP.

Peu Madureira é o favorito de Júlio Isidro

Só Por Ela, tema composto por Diogo Clemente e defendido por Peu Madureira, foi a décima canção do alinhamento desta noite. O tema foi o vencedor desta eliminatória, com 22 pontos, provenientes de uma junção de televoto e do voto do júri residente.

Em entrevista à repórter da Antena 1Júlio Isidro, porta-voz do júri, revelou que considera que o fadista será o vencedor da edição deste ano do Festival da Canção. Segundo o apresentador, isto verifica-se pela coincidência entre o voto do júri e do público, tendo sido o tema que arrecadou mais votos semelhantes de ambas as partes.

Isidro considera que o mesmo aconteceu na edição do ano passado com Salvador Sobral, embora em “sentido inverso“. Tozé Brito, figura habitual no painel de jurados, reforça que o tema marca pela diferença, assim como o vencedor do ano passado. No entanto, “desta vez a diferença está numa melodia fado, numa voz lindíssima.” Brito sugere, ainda, a alteração da orquestração, trocando os violinos por um quarteto de cordas.

O ano passado, após a primeira semifinal, foi Nuno Markl a apontar Salvador Sobral como favorito, o que acabou por gerar alguma consternação, tendo em conta o papel que o locutor ocupava como jurado do concurso da RTP. Relembramos que o júri presidido por Júlio Isidro só tem poder de decisão nas semifinais. Na final, o júri é substituído por vários júris regionais.

Adelaide Ferreira já sabe em quem vai votar

Uma das comentadoras em estúdio, Adelaide Ferreira, que integrará o júri regional de Lisboa, refere que, para si, o tema de Diogo Clemente também é o mais forte candidato do festival. “Desde o primeiro momento que ouvi disse aos meus colegas ‘Este tema vai ganhar o Festival da Eurovisão’,” referiu em direto.

Mais cedo, a cantora fez questão de ressaltar que, enquanto jurada, já sabe em quem irá votar na Grande Final. Declarações que, juntando as duas afirmações da artista, feitas antes de qualquer atuação por parte dos concorrentes que participarão na segunda semifinal, poderão gerar polémica.

Lê também: Espalha-Factos acompanha Festival da Canção a par e passo

Foram hoje conhecidos os sete primeiros finalistas da 50.ª edição do Festival RTP da Canção. O Espalha-Factos acompanhou a eliminatória minuto a minuto e apresentou-te os temas que passaram à Final, num artigo que podes ler aqui:

Festival da Canção 2018: Primeiras sete músicas apuradas para a final