Já deves ter ouvido falar deles. Mesmo que nunca tenhas conhecido nenhuma música. Os BTS são uma boysband sul-coreana e existem desde 2013. Nos últimos dois anos tornaram-se um fenómeno, estão a conquistar fãs um pouco por todo o mundo. Nos Estados Unidos, têm esta semana a sua primeira capa de revista, na Billboard.

A edição especial dedicada ao grupo contou, além de uma primeira página com todos os integrantes, uma edição especial com várias capas individuais, dedicadas a cada um dos sete elementos da banda. Esta edição, limitada a 17 mil exemplares, esgotou em poucas horas.

A prova da importância do grupo pode ainda ser notada noutra opção editorial da revista. A juntar-se ao destaque na edição em papel, o site da Billboard passou a contar, desde esta semana, com um menu especial dedicado aos BTS.

BTS na Billboard

Capa da Billboard com os BTS (Fotografia: Divulgação)

O conjunto asiático tem sido um sucesso de vendas no mercado norte-americano. Já conquistou o número 1 no top do iTunes, com o single Mic Drop, e ganhou ainda o certificado de disco de ouro para o tema DNA. É ainda líder do top social da Billboard há vários meses consecutivos.

Suicídio e doença mental em debate

Um dos temas que mais atenção gerou na entrevista que dão à publicação norte-americana foi o suicídio do também coreano Jong-hyun, que pertencia ao grupo SHINee.

Suga, um dos elementos do grupo, sublinhou a importância de “criar um ambiente onde as pessoas possam pedir ajuda” e ainda de “admitir que as coisas são difíceis quando o são“, bem como ser capaz “de dizer a alguém que sentimos a sua falta quando sentimos“.

RM, outro dos vocalistas, acrescentou que a morte de Jong-hyun, que sofria de depressão, foi um choque. O músico, de 27 anos, era uma estrela bem-sucedida na Coreia do Sul, o que para RM significa que a doença mental, um problema grave no país, nem sempre está relacionada com o sucesso ou insucesso.

Numa declaração sobre as gerações mais jovens, o artista notou ainda que os políticos têm responsabilidade de mudar as coisas. “Todos os dias são stressantes para a nossa geração (…) É difícil conseguir um emprego, frequentar a faculdade… os adultos necessitam de criar políticas que possam facilitar a mudança social“.

A mensagem do grupo reveste-se de ainda maior importância devido à aceitação geral, na cultura da indústria do entretenimento coreana, de um ambiente de competitividade extrema e pressão demasiado elevada.