Na era das relações digitais, a produtora de softwares de segurança Kaspersky juntou-se ao site de inquéritos Toluna para investigar a privacidade nas relações. Eis os resultados. 

Um terço dos utilizadores incluídos no estudo revelaram espiar os parceiros online. Isto equivale a uma percentagem de 33% que, em relações instáveis, sobe para os 50%. 

Apesar de tudo, 80% dos inquiridos considera essencial existir privacidade, tanto online como offline. O que pode parecer paradoxal, uma vez que a percentagem de casais que partilha palavras-passe das redes sociais é assustadora: 50%. 

Pelo que o estudo indica, a felicidade e estabilidade da relação tem um impacto importantíssimo nestas percentagens. Os casais mais infelizes demonstraram ter receios relativamente à sua privacidade (31%), ao passo que, em relações mais estáveis, essa percentagem diminui para os 15%. 

Nos casais menos felizes, notou-se uma maior tendência em manter privadas algumas das suas atividades: 76%, em comparação com os 54% das relações mais felizes. Optam por ocultar do parceiro, sobretudo mensagens trocadas com outras pessoas, gastos pessoais ou histórico de sites visitados.  

Um terço já discutiu por ter ‘segredos digitais’

Escusado será dizer que este é um tema delicado que pode mesmo pôr em causa a relação, uma vez que leva a discussões quando um dos parceiros, estando no seu direito, esconde algo, mesmo que de forma inocente, criando uma sensação de desconfiança no casal. Um em cada três inquiridos afirma já ter discutido com o parceiro após este lhe esconder algo. 

No relatório elaborado pelo Kaspersky Lab, pode ler-se “A maioria (72%) diz não ter segredos para o parceiro e 81% diz confiar no outro, não tendo como preocupação as suas atividades online. Certamente, a nossa pesquisa mostra que os casais felizes tendem a ser mais transparentes um com o outro“. 

A quantificação da “felicidade” nas relações foi feita através da classificação dos próprios intervenientes, entre as opções “a nossa relação é ótima e estou feliz com ela“, “a nossa relação é boa e estou satisfeita com ela“, “a nossa relação é razoável, mas podia ser melhor e “a nossa relação é instável, não sei se temos futuro“.

A conclusão do estudo foi clara. Apesar de haver inúmeros softwares de proteção de dados, há algo essencial numa relação​: a comunicação entre o casal. E isso não se compra.