Este ano, o Global Teacher Prize (GTP) chega a Portugal, para distinguir o professor ou a professora do ano com o valor monetário de 30 mil euros.

A implementação do Global Teacher Prize Portugal contou com a parceria principal da Fundação GALP e o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e da Federação Portuguesa de Futebol.

Portugal é um dos primeiros países da Europa a implementar uma edição do GTP, considerado como o prémio Nobel do Ensino.

Este prémio tem como objetivo distinguir os professores que tenham contribuído para a valorização da profissão, através do desenvolvimento de boas e inovadoras práticas de ensino, promotoras de respostas adequadas às situações mais desafiantes no contexto escolar.

Esta distinção reforça, ainda, a importância dos docentes no desenvolvimento da educação e de uma sociedade mais próspera e sustentável, assente na promoção de um futuro construtivo.

Paralelamente, promove a partilha de experiências e saberes, sensibilizando toda a comunidade para a importância da educação das crianças e dos jovens.

Global Teacher Prize Portugal, um prémio pela educação

A edição nacional, instituída pela primeira vez este ano, pretende oferecer uma abordagem ambiciosa e inovadora.

Neste sentido, está prevista a realização de um conjunto de iniciativas com o envolvimento de toda a comunidade educativa e da sociedade em geral.

Ao longo de vários meses, serão partilhadas histórias, online e em diferentes locais do território nacional, será editado um livro com histórias inspiradoras sobre professores e um documentário sobre a instituição do prémio no país.

Ao mesmo tempo, serão dados a conhecer vídeos com o testemunho de algumas personalidades, como Nuno Markl, Fernanda Serrano, Vasco Palmeirim e Pedro Ribeiro, sobre a importância dos professores no investimento da educação das crianças.

Sobre o Global Teacher Prize

O Global Teacher Prize teve a sua primeira edição em 2015. O seu objetivo é distinguir, anualmente, um professor ou uma professora pelo trabalho exímio que tenha desenvolvido em prol da valorização da profissão.

As candidaturas são abertas a todos os docentes em atividade de todo o mundo, de acordo com um regulamento próprio que abrange um conjunto de critérios relevantes para o exercício das suas funções. O vencedor é eleito por um júri multidisciplinar.

Na sua primeira edição, o GTP recebeu mais de cinco mil candidaturas, oriundas de 127 países.

Em 2015, a eleita foi a professora americana Nancie Atwell, que doou o prémio ao Center for Teaching and Learning (CTL), a escola que fundou no Maine, EUA, para apoiar alunos desfavorecidos.

Em 2016, Hanan Al Hroub, professor palestiniano, foi o grande vencedor e, no ano passado, o prémio foi atribuído à professora inuíte Maggie MacDonnell, de Salluit, Quebec, no Canadá.

Quem pode concorrer ao Global Teacher Prize Portugal?

As candidaturas ao prémio decorrem desde o dia 6 de fevereiro e prolongam-se até 18 de março.

São aceites candidaturas de professores de todos os níveis de ensino, desde o pré-escolar ao 12.º ano, de todas as áreas, do ensino público, do ensino particular, cooperativo e especial, em atividade em Portugal ou em instituições nacionais.

Os professores podem efetuar a sua candidatura através de um formulário disponível online.

O júri é constituído por um conjunto de personalidades de diversas áreas: Afonso Mendonça Reis (Presidente do Júri), Pedro Carneiro (representante da comunidade educativa), Sara Rodi (representante dos pais), João Brites (representante dos alunos), Eduardo de Sá (representante da comunidade científica) e Alexandra Marques (representante da comunidade).

Álvaro Laborinho Lúcio é o presidente honorário do júri desta primeira edição nacional.

O vencedor será anunciado no dia 3 de maio.

Global Teacher Prize

Foto: divulgação

Mais informações no site oficial do Global Teacher Prize Portugal.

Lê também: BD INSPIRADA EM O VELHO E O MAR, DE HEMINGWAY, EDITADA EM PORTUGAL