À entrada do Campo Pequeno sente-se uma manhã fria e ventosa. O grande cartaz na entrada principal convida-nos a entrar n’O Chocolate em Lisboa. O Espalha-Factos foi ao primeiro dia da quinta edição do festival que vai satisfazer os mais gulosos até domingo, dia 4.

A variedade de produtos com chocolate vai desde os licores, brigadeiros e bombons até línguas de gato, crepes ou waffles. Entre os mais peculiares estão os bombons de chocolate negro com queijo da Serra, da marca Chocolate com Pimenta, proveniente de Vila Verde, ou o licor com creme de pastel de nata. Há até ouro e prata comestíveis.

Filipa Trigo, representante da organização do evento, destaca essa diversidade. “Aqui o objetivo é sempre encontrar coisas diferenciadas. O interesse d’O Chocolate em Lisboa é trazer os produtores para darem a conhecer ao público as suas novidades, as origens do cacau e os seus benefícios.”

Quebrar o mito do chocolate

Este sábado, dia 3, os workshops ocupam a programação. Filipa Trigo realça o workshop dedicado à relação entre os celíacos e o chocolate e o de receitas com chocolates vegan. “Há uma ideia de quebrar mitos em relação ao chocolate. As pessoas pensam que o chocolate é mau e que engorda quando, pelo contrário, em termos nutricionais o chocolate é altamente energético e tem imensas vantagens em termos de saúde, por exemplo no equilíbrio entre sódio e potássio”, afirma.

Rui Moreira, vice-presidente do Cacau Clube de Portugal, explica que “o cacau é muito rico, tem muitos nutrientes que são bons para a nossa saúde, nomeadamente antioxidantes. Muitas vezes o chocolate comercial tem pouco de cacau e muito de outras coisas, como o açúcar.”

No palco chococooking preparam-se, de hora a hora e ao longo de todos os dias do evento, receitas em que “o chocolate é protagonista”, explica o coordenador Luís Ascenção. “Queremos dar voz aos chefs de pastelaria que temos em Portugal”, em especial àqueles premiados com estrelas Michelin, como é o caso dos chefs Patrícia Godinho, Tiago Bonito ou Carlos Valente.

LÊ TAMBÉM: O PARAÍSO DO CHOCOLATE ESTÁ DE REGRESSO A LISBOA 

Chocolates de Portugal e do mundo

Manuela Soares veio de Viseu para representar a marca Chocolateria Delícia. Desde a primeira edição que marcam presença no evento porque “este certame é muito interessante para a divulgação do chocolate no nosso país”. Destaca os três bombons premiados e as tabletes criadas em homenagem a algumas cidades de Portugal, como Lisboa, Sintra e Viana do Castelo.

Do Estoril chega a Brownie’s & Companhia que, como o nome indica, é especialista em brownies. Sandra Agante conta que, em 2015, começaram com um brownie de noz. A partir daí partiram para outros sabores, como o de framboesa e o de caramelo. Uma vez que a marca já está presente em alguns restaurantes e em espaços como o Mercado da Ribeira, o principal objetivo passa por “divulgar a marca aos particulares”.

O Brasil está representado com o chocolate produzido no país mas também pelos seus tradicionais brigadeiros. Giovana Oliveira traz a Segredo dos Anjos – Brigadeiros Gourmet pela terceira vez ao festival. “Existe o brigadeiro tradicional mas nós aqui temos 43 sabores, o que faz a diferença”, afirma.

chocolate em lisboa

Os brigadeiros gourmet

Caio Alves está pela primeira vez n’O Chocolate em Lisboa a expor marcas de origem do sul da Bahia que produzem chocolate a partir de cacau desde a amêndoa até à barra. “São chocolates de alta qualidade porque utilizam um cacau que tem um manejo diferenciado, sofre uma fermentação mais demorada, é um cacau gourmet”. Caio explica que “o Brasil tem investido cada vez mais num chocolate com maior qualidade” e é isso que quer dar a conhecer aos visitantes.

A organização espera receber cerca de 25 mil visitantes ao longo dos quatro dias. O evento decorre até dia 4 e os bilhetes, adquiridos à entrada, custam dois euros para crianças entre os seis e os 11 anos e quatro euros para adultos.