O terceiro capítulo do franchising Maze Runner estreou a liderar em todo o mundo. Em Portugal, a disputa no fim de semana de 25 a 28 de janeiro, contra The Post, foi renhida, e só ficou resolvida quando contabilizada a receita.

Nos ecrãs nacionais a saga conquistou 239.960 euros de receita, contra 232.788 do filme protagonizado por Tom Hanks e Meryl Streep. Maze Runner: A Cura Mortal levou 41.127 pessoas aos cinemas, que gastaram mais dinheiro que os 42.470 que foram ver The Post.

No terceiro lugar, e já na segunda semana, ficou The Commuter. O filme protagonizado por Liam Neeson fechou o fim-de-semana com 109.981 euros de receita, depois de ter arrancado mais de 300 mil na semana de arranque.

Jumanji começa a ceder

Lá fora, o duelo foi mais fácil. Defrontou Jumanji: Bem-Vindos à Selva, que está na sua sexta semana de exibição e a perder gás depois de uma caminhada lucrativa: já acumula 661 milhões de euros de receita. Esta semana somou mais 27 milhões, longe dos 69 que arrecadou o filme protagonizado Dylan O’Brien. A saga, que está em exibição em 70 países, liderou em 58 deles, somando 18,9 milhões de euros de bilheteira nos Estados Unidos e 17,3 na China, que foi o segundo melhor mercado.

A história inspirada nos livros de James Dashner rendeu, nos primeiros dois filmes, mais de 530 milhões de euros. O terceiro filme, que deverá conseguir receitas próximas dos 300 milhões, será, ainda assim, o menos bem-sucedido de todos as da série.

Em Maze Runner: A Cura Mortal, Thomas lidera o grupo de Clareirenses numa última e mais perigosa missão. Para salvar os amigos, devem invadir a lendária Última Cidade, um labirinto controlado pela CRUEL que pode vir a ser o mais mortal de todos os desafios. Qualquer um que consiga sair de lá com vida, receberá respostas às perguntas que os Clareirenses têm feito desde que chegaram ao labirinto.