As obras do Parque Ribeirinho Oriente vão começar em fevereiro. O novo espaço verde de Lisboa situa-se entre o Braço de Prata e a zona da Matinha. O projeto foi desenvolvido pelo atelier FC Arquitectura Paisagista, das arquitetas Filipa Cardoso de Menezes e Catarina Assis Pacheco.

O projeto foi aprovado pela Câmara Municipal de Lisboa em 2015, mas a construção da primeira fase do espaço só foi adjudicada em dezembro passado. Espera-se que as obras estejam concluídas até ao final deste ano. No final das duas fases previstas, o jardim vai abranger uma área com cerca de 90 mil metros quadrados.

O plano passa por intervir nas zonas do Parque do Vale Fundão, loteamento dos Jardins de Braço de Prata, edifício Tabaqueira, Plano de Pormenor da Matinha e doca de recreio. O investimento total vai ser de 3,85 milhões de euros.

espaço verde

Cais-pontão da Matinha. (Fotografia: Câmara Municipal de Lisboa)

LÊ TAMBÉM: PARQUE URBANO DO VALE DA MONTANHA: O NOVO PARQUE VERDE DE LISBOA

Espaços de desporto, cultura e lazer

Estão previstas várias áreas relvadas, esplanadas, uma ciclovia, um espaço de aluguer de bicicletas, um sistema de apoio a atividades náuticas e uma biblioteca. Apesar da instalação destes novos equipamentos, o objetivo é também preservar a identidade portuária e industrial da zona envolvente. Para tal, alguns contentores marítimos vão ser recuperados e vão-se manter os pontões, alguns armazéns e o traçado da antiga linha férrea.

O parque vai, ainda, aproveitar a forte ligação existente entre a cidade e o rio Tejo. Quanto às preocupações ambientais, vão ser implementadas medidas de redução do consumo energético e de água. A subida do nível das águas do mar, consequência das alterações climáticas, vai ser acautelada.

As arquitectas do novo espaço verde

Filipa Cardoso de Menezes e Catarina Assis Pacheco são arquitetas paisagistas desde 1994 e trabalham em conjunto no atelier de ambas desde 1997. Ao longo dos anos desenvolveram variados projetos para parques urbanos, espaços públicos, espaços institucionais, escolas e jardins particulares. Entre esses trabalhos destacam-se o Parque Urbano de Albarquel, a Escola Secundária Rainha Dona Leonor ou a frente ribeirinha do Montijo.