O Cumplicidades – Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa regressa de 10 a 16 de março. No programa constam oito criações, cinco em estreia absoluta, garante a organização do evento.

A edição deste ano conta com duas propostas: uma de cariz nacional, dirigida pela coreógrafa e bailarina Tânia Carvalho, e uma proposta internacional, dirigida pelo espanhol Abraham Hurtado.

O programa

A criação de Tânia Carvalho, que segue o modelo 7x7x7, consiste em sete espetáculos, que vão ser apresentados ao longo de sete dias, no mesmo número de espaços diferentes.

Nos espetáculos nacionais vão estar, em estreia absoluta, Vasco Diogo, Vitalina Sousa, Inês Campos e Aurora Pinho. Bruno Senune e Flora Detraz vão ainda estrear em Lisboa, respetivamente,  A Deriva dos Olhos e Tutuguri.

O Ballet Comtemporâneo do Norte (BCN) vai também estar presente no Cumplicidades 2018 para apresentar Repertório para Cadeiras, Figurantes e Figurinos, também em estreia na capital,  nas Carpintarias de São Lázaro.

Já a proposta de Abraham Hurtado vai consistir numa criação de um coletivo de artistas reunidos por convocatória aberta.

Com o objetivo de reconfigurar a mesma proposta a sete espaços diferentes, a criação do espanhol vai ser interpretada por artistas de Turquia, Grécia, Espanha, Israel e Egipto/Itália.

Organizado pela EIRA, o festival bienal regressa este ano após ter sido distinguido, em 2016, com a certificação EFFE (Europe for Festivals Festivals For Europe).

Podes encontrar mais informações no evento do festival no Facebook.

Foto: cartaz do festival Cumplicidades 2018 / divulgação

LÊ TAMBÉM: O BANDO ABRE PORTAS A GRUPOS TEATRAIS DE OUTROS CONCELHOS