Como acontece todos os anos após serem reveladas as nomeações aos Oscars, há filmes que são ignoradas pela Academia em determinadas categorias. Este ano, o realizador Denis Villeneuve afirma que o seu Blade Runner 2049 foi ignorado da categoria de Melhor Filme. Apesar de ter sido nomeado para cinco outras categorias, Villeuve defende que a única razão para o filme que dirigiu não ter sido nomeado para Melhor Filme foi ter sido um fracasso de bilheteira.

O orçamento de Blade Runner 2049 rondou os 120 e 150 milhões de euros. O total das receitas de bilheteira chegou quase aos 210 milhões de euros. Este número pode inicialmente dar a entender que o valor que o filme conseguiu angariar ultrapassou os seus custos de produção, mas os custos astronómicos da publicidade feita para o projeto não estão incluídos no orçamento. Por isso, apesar de ter sido maioritariamente bem recebido pela crítica, Blade Runner 2049 foi considerado um fracasso de bilheteira.

De certa forma, isso assemelha-se ao que aconteceu com o Blade Runner original, cujo lançamento em 1982 também foi uma desilusão financeira. No entanto, nesse caso isso provavelmente deveu-se ao tempo reduzido da versão exibida nos cinemas em relação à Versão de Realizador que seria distribuída anos mais tarde e que  tornaria Blade Runner no filme de culto que é hoje.

Segundo Villeneuve Não é comum que um filme que não tenha sido bem sucedido no mercado dos Estados Unidos receba uma nomeação para Melhor Filme“. Para além disso, também se queixou de a banda sonora original de Hans ZimmerBenjamin Wallfisch não ter sido nomeada para os Oscars. Mas apesar disso, o realizador está feliz com as nomeações que o seu projeto recebeu. “Como realizador, eu trabalho perto daquelas pessoas para trazer a minha visão ao ecrã. E trabalho com grandes artistas. E devo-lhes imenso.”

Blade Runner 2049 foi nomeado para Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Mistura de Som, Melhor Edição de Som e Melhores Efeitos Visuais.