O Bando, companhia de teatro de Palmela, abre portas a grupos teatrais de outros concelhos, que preenchem a sua programação de espetáculos, em fevereiro e março.

Fundado em 1974, O Bando assume-se como uma das mais antigas cooperativas culturais do país, elegendo a transfiguração estética como um modo de participação ativa, cívica e comunitária.

Na sua origem, encontramos as atividades de animação para a infância, desenvolvidas em escolas e/ou associações culturais, e o teatro de rua.

Em 2018, O Bando acolhe quatro espetáculos de grupos de teatro de Tondela, Vila Nova de Famalicão, Castro Daire e Porto.

Paralelamente, esta iniciativa permite a apresentação de peças de teatro de reconhecida qualidade artística e estética, desenvolvidas por outros grupos, valorizando uma arte nobre com grande tradição em Palmela.

A descentralização da programação teatral junta espetáculos que partilham afinidades artísticas e oferece aos espetadores a oportunidade de assistir a projetos polivalentes, dinâmicos, potenciadores da criação, da divulgação e da produção cultural:

Sentada no Escuro, por Trigo Limpo Teatro ACERT

Bando

Foto: divulgação

Uma peça baseada na obra Para aquela que está sentada no escuro à minha espera (2016), de António Lobo Antunes, com dramaturgia e encenação de Pompeu José.

Esta é a história de uma mulher de 78 anos que veio de Faro para Lisboa.

Quando era jovem, tinha o sonho de ser atriz.Na capital, terá uma carreira algo conturbada, até que começa a enfrentar um grave problema: a perda da memória.

E é todo o seu percurso de envelhecimento cerebral e o modo como a personagem encara a fase terminal da sua vida que marcarão a narrativa da peça.

O elenco conta com a participação de António Rebelo, Ilda Teixeira, Raquel Costa e Sandra Santos. A cenografia está a cargo de Zé Tavares e Pompeu José, e a música de Gustavo Dinis.

A peça, para maiores de 12 anos, pode ser vista nos dias 3, às 21h, e 4 de fevereiro, às 17h.

Prelúdio ou A Mulher Selvagem, por Teatro da Didascália

Bando

Foto: divulgação

Com encenação de Bruno Martins, esta é uma co-produção do Teatro da Didascália com a Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão e o Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

Baseado em contos da tradição oral, pesquisados por Patrícia Amaral, este é um espetáculo poético sobre o lado primitivo e selvagem da condição da mulher, numa ligação emotiva aos ciclos da morte e da renovação.

O elenco conta com a participação de Catarina Gomes, Cláudia Berkeley e Daniela Marques. A cenografia está a cargo de Sandra Neves.

O espetáculo, dirigido a maiores de 12 anos, pode ser visto nos dias 11 e 12 de fevereiro, às 21h e 17h, respetivamente.

Os 4 Clowns do Apocalipse, por Teatro de Montemuro

Bando

Foto: divulgação

Com texto de Peter Cann e encenação de Andrew Harries, esta peça de teatro não-verbal é de inspiração clownesca.

Os quatro cavaleiros do Apocalipse aventuram-se a galopar até ao início do fim do mundo, mas apenas a Guerra, a Fome e a Peste surgem em cena, à espera da Morte.

Enquanto aguardam pela Morte, transformam-se em palhaços e criam um mundo novo, diferente e anárquico.

O elenco conta com a participação de Abel Duarte, Eduardo Correia e Paulo Duarte. A direção musical está a cargo de Simon Fraser.

A peça, para maiores de 12 anos, pode ser vista nos dias 3, às 21h, e 4 de março, às 17h.

O Pássaro na Cabeça, por Pé de Vento

Bando

Foto: divulgação

Uma peça baseada na obra homónima do escritor Manuel António Pina, com encenação de João Luiz e dramaturgia de Maria João Reynaud.

Esta é a história do ser humano que reflete sobre o modo como podemos brincar com as palavras, numa altura em que a sociedade nos faz crer que tudo é demasiado sério na vida.

Paralelamente, esta peça assinala o início das comemorações dos 40 anos da companhia e da parceria com o autor português, falecido a 19 de outubro de 2012, na cidade invicta.

O elenco conta com a participação a solo de Alexandra Nóbrega.

O espetáculo, dirigido a maiores de 4 anos, pode ser visto nos dias 10, às 21h, e 11 de março, às 17h.

Como podes assistir aos espetáculos

Esta iniciativa inédita permite, ainda, jantar com os atores d’O Bando e das companhias acolhidas por este grupo de teatro, desde que as reservas sejam efetuadas com antecedência.

O preço dos bilhetes varia entre os 6 e os 9 euros (para cada espetáculo) e os 15 euros (jantar para grupos apenas aos sábados e espetáculo).

Mais informações e reservas, contacta 912 438 817 ou [email protected] .

LÊ TAMBÉM: ANTÓNIO ZAMBUJO, CÉSAR MOURÃO, LUÍSA SOBRAL E MIGUEL ARAÚJO JUNTOS NUM DESCONCERTO