Quase 12 anos depois do final de Charmed, conhecida em Portugal como As Feiticeiras, a estação de televisão norte-americana CW encomendou um piloto para o tão esperado reboot da série. A nova versão será “feroz, engraçada e feminista.

Inicialmente, a nova série seria uma prequela da versão original, passada nos anos 1970, mas a CW revelou na quinta-feira (25) que terá lugar nos dias de hoje.

A história centra-se em “três irmãs, numa cidade universitária, que descobrem que são bruxas”, vencem demónios e derrubam o patriarcado, ao mesmo tempo que mantêm laços familiares, segundo a estação norte-americana.

O reboot será escrito e produzido por Jennie Snyder Urman, criadora de Jane The Virgin, juntamente com as escritoras da mesma série, Jessica O’Toole e Amy Rardin. O diretor será Brad Silberling (Jane The Virgin, Dynasty).

Na série original, as três bruxas foram representadas por Holly Marie Combs, Alyssa Milano, Shannen Doherty e Rose McGowan. Ainda não se sabe quem fará parte do novo elenco.

Lê também: Vem aí um reboot de ‘Sabrina, A Bruxinha Adolescente’

A reação de uma das protagonistas originais

Holly Marie Combs, que representou Piper Halliwell na série original durante oito temporadas, reagiu à notícia desta nova versão no Twitter, na sexta-feira (26).

Até nos pedirem para a rescrever como Brad Kern [produtor] fazia semanalmente, nem pensem em tirar proveito do nosso árduo trabalho. As Feiticeiras pertence a nós as quatro, à nossa ampla equipa de escritores e maioritariamente aos fãs. Vocês não irão enganá-los por possuírem um título”, escreveu.

A atriz criticou também o marketing feminista que a CW está a fazer à nova série.

Em Outubro, Doherty já tinha afirmado que era demasiado cedo para um reboot. Os restantes membros do elenco original ainda não partilharam a sua opinião.