Foto: AOL.com

SAG Awards 2018: os destaques da red carpet

A 24ª edição dos prémios Screen Actors Guild (SAG Awards) decorreu, durante a passada madrugada, em Los Angeles.  A cor regressou à passadeira vermelha, em mais um evento promovido pelo sindicato americano de atores.

O relógio marcava as 23 horas em Portugal quando a cidade de Los Angeles se preparava para o início de mais uma edição dos SAG Awards, um dos eventos de maior destaque da Award Season. Depois da Red Carpet dos Globos de Ouro, onde a estética foi deixada de lado e todos se uniram em nome do movimento contra o assédio sexual, as expectativas para os looks que desfilariam na passadeira vermelha dos SAG Awards eram elevadas. Os SAG Awards distinguem o que de melhor se faz em televisão e cinema.

Lupita Nyong’o em Ralph&Russo

https://www.instagram.com/p/BeO5MAWlIU9/?hl=pt&taken-by=thecatwalkitalia

Desde que se estreou na passadeira vermelha dos óscares em 2014 que Lupita Nyong’o se tem afirmado como uma personalidade a ter em conta na moda. Com um modelo brilhante, onde se destaca uma cauda de penas da casa de Tamara Ralph e de Michael Russo, a atriz queniano-mexicana conseguiu mais uma vez atrair olhares,  enaltecer a beleza e elegância natural que a caracterizam.

Kate Hudson em Valentino

https://www.instagram.com/p/BeO4K9-lI1U/?hl=pt&taken-by=thecatwalkitalia

Não é possível falar em momentos marcantes sem relembrar a chegada de Kate Hudson à passadeira vermelha. O vestido rosa com padrão polka dot é uma criação Valentino e tem sido uma das escolhas que mais divide as audiências. Se uns consideram que a junção de renda com bolas e camadas de folhos não resultou e desfavoreceu a atriz, outros afirmam que esta foi uma das escolhas mais femininas e delicadas de Hudson, normalmente reconhecida pelos coordenados mais sensuais.

Allison Williams em Ralph&Russo

https://www.instagram.com/p/BeOsVFwFM7L/?hl=pt&taken-by=thecatwalkitalia

Este parece ser um filme que já assistimos anteriormente. As franjas que nos transportam de volta aos loucos anos 20 foram uma tendência que marcou as Red Carpets em 2017. Apesar de nos provocar uma sensação de Déjà Vu, com a escolha deste Ralph&Russo branco,  Allison Williams deu que falar e fez-nos acreditar que o modelo continua a resultar.

Yara Shahidi em Ralph Lauren

Yara Shahidi foi das poucas personalidades a escolher um modelo integralmente preto para desfilar na passadeira vermelha. Se à primeira vista o macacão da Ralph Lauren poderia se apresentar como uma escolha desinteressante, com pouca vida e até repetitiva, Shahidi prova-nos que “menos é mais” sendo considerada uma das mais elegantes da noite.

Danielle Brooks em Marc Bouwer

Danielle Brooks optou por uma criação composta por um dégradé entre os tons preto e vermelho da autoria de Marc Bouwer. Esta foi, para muitos, uma das escolhas mais arriscadas da noite. É certo que não seria a opção da maioria, muito menos daqueles que mais facilmente optariam por um look discreto e pouco comprometedor. No entanto, a criação passou uma imagem de poder, garra e determinação, que fizeram do look, da atriz de Orange Is the New Black, um dos mais fortes da noite.

Lê também: GLOBOS DE OURO 2018: OS MELHORES E OS PIORES LOOKS DA NOITE

Tracee Ellis Ross em Ralph&Russo

View this post on Instagram

🕊 ~ @ralphandrusso haute couture #sagawards

A post shared by Tracee Ellis Ross (@traceeellisross) on

Ao alcançar um determinado patamar na sua carreira, há artistas que não precisam de se esforçar para atrair todas as atenções para si. A escolha por um modelo branco criado pela casa Ralph&Russo certamente não foi a opção mais exuberante ou irreverente da noite. Tracee Ellis Ross destaca-se pela simplicidade e intemporalidade, uma escolha effortless que só poderia levar a tamanho destaque nas mãos e no corpo de uma atriz com tamanho nível de reconhecimento.

Natalia Dyer em Dior

https://www.instagram.com/p/BeOrHCvFq4G/?hl=pt&taken-by=thecatwalkitalia

Natalia Dyer teve o fator tempo a seu favor. Apesar desta criação da Dior primar pela originalidade e pela irreverência, a verdade é que o grande destaque que a escolha da “Nancy” de Stranger Things está a ter advém, em parte, do facto da atriz ter sido das primeiras a pisar a Red Carpet. Natalia não fez apenas uma escolha arriscada que resultou. Ela interessou o público, captou a sua atenção no primeiro momento e fê-lo ter vontade de saber que mais estava para vir, e só por isso já merece ser destacada.

Renée Bargh em Alex Perry

Se na cerimonia o foco das atenções estava direcionado para os profissionais do mundo da ficção, nos momentos que antecederam o seu começo outras figuras conseguiram destacar-se. Renée Bargh, apresentadora australiana, utilizou um modelo azul Alex Perry que conquistou as redes sociais, mesmo não sendo ela uma figura de destaque mediático da noite. Apesar da construção do decote ser discutível, a fluidez do tecido, a cor, as mangas e o comprimento do vestido conquistaram os olhares mais atentos.

Mais Artigos
Ricardo Araújo Pereira participa nas conversas da FFMS
Ricardo Araújo Pereira é a figura pública favorita dos portugueses